Arapongas

Viapar intermedia pagamento de funcionários terceirizados

Trabalhadores chegaram a tomar a praça de pedágio em protesto duas vezes.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Viapar intermedia pagamento de funcionários terceirizados
Viapar intermedia pagamento de funcionários terceirizados

Cerca de 57 funcionários da obra do contorno de Arapongas, contratados pela empresa Societá Construtora, terceirizada pela concessionária Viapar, receberam os salários atrasados na última sexta-feira (17). A informação foi confirmada nesta terça-feira pela concessionária.

continua após publicidade

Na última semana, os trabalhadores se reuniram em frente a praça do pedágio de Arapongas para cobrar o pagamento de salários atrasados e direitos trabalhistas, já que a empresa Societá havia dispensado os funcionários sem realizar nenhum acerto. Fornecedores de transporte e alimentação que firmaram contrato com a empresa também estavam sem receber. Por conta da situação, os trabalhadores da obra do contorno da cidade chegaram a tomar a praça do pedágio de Arapongas e liberar as cancelas por duas vezes.

Segundo a assessoria da Viapar,  o pagamento foi realizado diretamente aos funcionários da Societá através de um acordo feito entre a terceirizada e a concessionária. Uma parcela que seria creditada a empresa pelos serviços prestados na obra, foi direcionada para a realização dos pagamentos.  A Viapar informou ainda que os problemas trabalhistas permanecem com a Societá e que apenas viabilizou o andamento das obras colaborando com o terceirizados.

continua após publicidade

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada no Estado do Paraná (Sintrapav) de Maringá, Marcos Vinícius Canovas, todos os 57 funcionários da obra receberam salário, cesta básica e adiantamento de salário. "O pagamento foi realizado pela Viapar na última sexta-feira (17), depois de um acordo com a empresa responsável pelas contratações. A rescisão dos trabalhadores ainda está pendente porque a empresa Societá  continua com o contrato, só não está trabalhando. Ainda faltam os pagamentos do pessoal da capa asfáltica, estamos conversando com a empresa Societá e com a Viapar pra ver como vai ficar a situação desses cerca de 20 trabalhadores", informou o sindicalista.

Através de sua assessoria, a Viapar informou que o cronograma da obra do Contorno de Arapongas não será prejudicado em razão da questão envolvendo o contrato com a empresa Societá. Também informou que ainda se encontram pendentes de liberação de áreas em quatro processos judiciais e dois processos administrativos em que a concessionária ainda não pode ajuizar as ações em razão de que  os mesmos se encontram pendentes junto ao DER. Sobre o andamento das obras, a concessionária garante que considerando as obrigações contratuais assumidas pela Viapar, Estado e empresas contratadas pela Viapar para a execução das obras, "a concessionária encontra-se tomando todas as medidas de forma a cumprir as suas obrigações e entregar esta obra aos usuários  de rodovias".