Arapongas

Técnico de eletrônica morto a tiros é sepultado nesta terça

O sepultamento de Lucas Aparecido Vieira acontece no Cemitério Municipal de Arapongas

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Lucas foi ferido com cinco tiros de arma de fogo na tarde do último domingo (5). Ele foi levado para o Honpar e, nessa segunda-feira (6), acabou morrendo.
fonte: Arquivo da família
Lucas foi ferido com cinco tiros de arma de fogo na tarde do último domingo (5). Ele foi levado para o Honpar e, nessa segunda-feira (6), acabou morrendo.

Ocorre nesta terça-feira (7) o sepultamento do técnico de eletrônica Lucas Aparecido Vieira, de 24 anos, que morreu na segunda-feira (6), no Hospital Norte do Paraná (Honpar), em Arapongas. O enterro do rapaz está previsto para as 16h no Cemitério Municipal.

continua após publicidade

Lucas, que trabalhava com conserto de celulares, foi baleado na tarde do último domingo (5), na estrada do Laranja Mecânica. A vítima foi ferida com cinco disparos de arma de fogo. 

A identidade do rapaz foi confirmada pelo próprio pai do rapaz, Marcio Aparecido Vieira, 42 anos, que se manifestou nas redes sociais sobre a morte do jovem. À reportagem da Tribuna, o pai contou que Lucas teria sido morto por um conhecido da família.

continua após publicidade

Márcio, que trabalha com manutenção e instalação de som automotivo e tem um bar na cidade, diz que ainda não sabia qual a motivação do crime.

“O que eu sei é que ele matou meu filho”, disse. Segundo o pai, Lucas morava com a avó. No domingo à tarde, o agressor teria ido até a casa, de onde tirou Lucas e o levou até a estrada da Laranja Mecânica, onde deu os tiros.

Márcio Vieira contou à reportagem que, embora conhecesse o agressor há muitos anos, Lucas não costumava a andar com ele. “Minha mãe, avó de Lucas, contou que meu filho começou a andar com esse sujeito há uma semana. O cara é metido com drogas”, relata o pai.

No início da noite de domingo, a ocorrência mobilizou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a Guarda Municipal e a Polícia Militar. A Polícia Civil instaurou inquérito e, na manhã de segunda-feira, um tio do rapaz esteve na delegacia repassando informações sobre o homem acusado do crime.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News