Arapongas

NRE analisa recurso sobre eleições para diretor em Arapongas

Caso ocorre em relação ao resultado do Colégio Estadual Emílio de Menezes.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia NRE analisa recurso sobre eleições para diretor em Arapongas

As eleições para diretores das escolas estaduais realizadas no último dia 07 de julho em todo o Paraná estão causando um impasse na comunidade escolar do Colégio Estadual Emílio de Menezes, em Arapongas.

continua após publicidade

Um grupo de pais e alunos da instituição está questionando o resultado obtido afirmando que não teriam recebido o link para votar de forma online. A chapa derrotada também questiona o resultado e entrou com recurso junto ao Núcleo Regional de Educação (NRE) alegando que houve problemas durante a votação.

A disputa ocorreu entre o atual diretor Dagoberto Rodolfo Begali com a chapa nº 2 e a professora Marly Gorzoni Guidone, com a chapa nº 1.

continua após publicidade

De acordo com o ouvidor do NRE José Carlos dos Santos, como houve empate técnico na votação, foi aplicado o critério de desempate previsto pela resolução que rege as eleições. Neste caso, o titular da chapa nº 2 foi conduzido ao cargo de diretor por estar a serviço da instituição de ensino há mais tempo. Sobre o fato de pais e alunos cadastrados para a votação não terem recebido o link, ele explica que a ouvidoria não foi notificada.

“Não houve denúncia formal de irregularidades no dia da votação. Em todos os colégios havia uma comissão responsável para dar o suporte necessário e até o momento, não recebemos informações de que este problema teria acontecido no Emílio de Menezes. Sabemos também que esta foi a primeira vez que o Estado realizou uma eleição com a opção de participação online e houve sim alguns problemas, em todo o Paraná. Toda e qualquer denúncia que chegar até a ouvidoria será apurada”, explicou Santos.

Ainda de acordo com o responsável pela Ouvidoria do NRE, um pedido de recurso foi protocolado pela chapa nº 1 junto ao órgão, pedindo a revisão do resultado. “Ainda não tive acesso ao conteúdo do pedido, mas vamos reunir uma comissão para analisar o recurso e avaliar se cabe uma impugnação do resultado das eleições naquele colégio”, informou.

continua após publicidade

Seed

Com relação a informação de que pais e alunos do colégio Emílio de Menezes não teriam conseguido votar de forma online nas eleições, a assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Educação (Seed) respondeu em nota que no dia da votação, as comissões de cada colégio deram suporte para resolução de eventuais problemas e que foram observadas diversas situações de votantes com cadastros errados.

“Os votantes aptos de cada instituição de ensino receberam o link para votação juntamente com o token (pessoal e intransferível) por email e SMS. No dia da votação foram observadas situações de votantes com o cadastro desses dados errados e/ou desatualizados, por exemplo. De qualquer forma, as Comissões Consultivas Locais de cada colégio deram suporte no dia da eleição tanto para eventuais dúvidas quanto ao processo quanto à resolução de eventuais problemas”, diz a nota da Seed.