Laudo sobre desabamento de barracão em Arapongas aponta negligência - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA

Laudo sobre desabamento de barracão em Arapongas aponta negligência

Foto por
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O Instituto de Criminalística concluiu o laudo da perícia a respeito do desabamento de um barracão em uma granja localizada na Colônia Esperança, em Arapongas, que matou um trabalhador no dia 12 de julho.

O documento apontou que todos os pilares do barracão já estavam instalados, mas as estruturas que deviam sustentar as telhas estavam mal posicionadas e sem parafusos, estratégia usada para acelerar a execução da obra, mas que a qualquer movimentação da estrutura da cobertura, poderia resultar no desabamento parcial de alguns componentes.

O laudo aponta ainda que houve a ausência de supervisão técnica adequada e uso de equipamentos de proteção individual. O documento já foi entregue para a Polícia Civil de Arapongas, que investiga a situação como homicídio culposo por negligencia, imprudência ou imperícia. A pena é de 3 anos de reclusão.

O desabamento

Felipe Augusto Cesário da Silva de 22 anos era morador de Jacarezinho e trabalhava no local quando o teto desabou. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Outros dois trabalhadores também ficaram feridos durante o desabamento. Os três trabalhavam na construção do imóvel quando o teto não resistiu e cedeu. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Laudo sobre desabamento de barracão em Arapongas aponta negligência"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.