Arapongas

Júri decide destino de réu por homicídio em atropelamento

Caso seja condenado a pena máxima, ele pode pegar até 20 anos de prisão em regime fechado; veja.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Júri decide destino de réu por homicídio em atropelamento
fonte: TNOnline

O réu Rodrigo Batistoni, acusado de atropelar e matar Vanessa Prado, 33 anos, quando ela saía de uma igreja em Arapongas, em março de 2019, é julgado em júri popular nesta quinta-feira (5).

continua após publicidade

O julgamento começou as 9h da manhã e deve seguir noite a dentro. Durante a manhã, foram ouvidas as testemunhas de acusação, estre elas, o namorado e as irmãs da vítima. Agora a tarde, o réu está sendo ouvido.

Ele é acusado de homicídio, omissão de socorro e fraude processual por tentar consertar o carro logo após o atropelamento. Caso seja condenado a pena máxima, ele pode pegar até 20 anos de prisão em regime fechado.

continua após publicidade

Uma câmera de segurança flagrou o veículo conduzido por Batistoni na contramão no momento do atropelamento. Ele fugiu do local sem prestar socorro. Além disso, a perícia defende que ele estaria acima do limite de velocidade da via.

A vítima foi socorrida e encaminhada ao hospital Honpar, mas não resistiu, e morreu três dias depois do atropelamento.

Batistoni foi preso após a polícia localizar o carro em uma oficina, mas depois quatro meses, ele conseguiu o benefício de responder em liberdade.

continua após publicidade

Veja:

 null - Vídeo por: Reprodução  

Com informações cobranews.