Arapongas

Idosa agredida em Aricanduva teve lesões graves e passará por cirurgia

A vítima das agressões está sob efeitos de remédios e deverá passar por um exame de corpo de delito

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

A idosa, de 64 anos, agredida por uma vizinha a golpes de capacete na última terça-feira, 12, em Aricanduva, está sob efeito de remédios e deverá passar por uma cirurgia no rosto. As informações foram repassadas por familiares, inconformados com a violência sofrida.

continua após publicidade

Segundo o boletim de ocorrências, por volta das 16h desta terça-feira, 12, uma equipe da Guarda Municipal (GM) foi solicitada por conta de uma briga entre vizinhas, onde uma delas teria agredido a outra com golpes de capacete na região da face e na cabeça. A vítima foi atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhada para atendimento médico no hospital Honpar. Segundo relatos das testemunhas, a briga aconteceu porque a idosa teria varrido folhas até a frente da residência de sua vizinha.

Segundo um familiar da vítima, que não será identificado por temer represálias, há divergências nas informações repassadas através do registro da ocorrência feita pela GM.

continua após publicidade

Em primeiro lugar, não houve vias de fato, porque a outra parte não saiu machucada. O que aconteceu foi que as duas vizinhas, mãe e filha, entraram na casa dela e a agrediram. Enquanto a filha segurava, a mãe batia com o capacete. Após a agressão, muito machucada e apavorada, ela ligou para o marido para pedir ajuda e a GM foi acionada. Ela precisou ser levada para o hospital e passar por diversos exames, pois foi atingida principalmente na cabeça”, disse o familiar.

A idosa, vítima das agressões, está sob efeitos de remédios para dor e deverá passar por um exame de corpo de delito. Segundo o familiar, ela está com o nariz trincado e provavelmente precisará passar por uma cirurgia no rosto.

É o tipo de situação que nunca imaginamos passar na vida. Tentamos tirá-la de casa, mas ela tem muito medo de que essas pessoas façam alguma coisa na casa, ou com os animais de estimação dela. Agora, ela vive trancada em casa, com medo, chorando. Estamos vivendo uma situação desesperadora. A única coisa que eu quero agora é justiça. Que essas pessoas paguem na justiça o que fizeram com ela”, declarou o familiar da idosa.

continua após publicidade

As suspeitas pela agressão foram encaminhadas para a delegacia de Arapongas para serem ouvidas no dia da ocorrência e, em seguida, liberadas. Uma audiência sobre o caso foi marcada para o próximo dia 01 de agosto.

A reportagem do TNOnline está à disposição para ouvir as outras partes envolvidas no caso.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News