Arapongas

Ex-vereador de Arapongas acusado de agredir mulheres sai da prisão

'Pastor do Mercado' recebeu concessão de liberdade provisória na sexta-feira (1º) à noite e saiu da prisão no sábado (2)

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Ele estava preso desde abril deste ano após ter sido acusado de agredir três mulheres, incluindo uma idosa, de 62 anos
fonte: Arquivo TN
Ele estava preso desde abril deste ano após ter sido acusado de agredir três mulheres, incluindo uma idosa, de 62 anos

O ex-vereador Paulo César de Araújo, conhecido também como 'Pastor do Mercado', de Arapongas, recebeu concessão de liberdade provisória nesta sexta-feira (1º). Ele estava preso desde abril deste ano, na Penitenciária Estadual de Londrina - PEL I, em Londrina, após ter sido acusado de agredir três mulheres, incluindo uma idosa, de 62 anos. 

continua após publicidade

Conforme o advogado de defesa, Sérgio Barroso, a concessão foi cedida pela juíza da 1ª Vara Criminal, na sexta-feira (1º) à noite, e no sábado (2) pela manhã, ele foi liberado. "Foi feito um pedido para que ele possa continuar respondendo o processo em liberdade. Este processo continua. No entanto, confio na justiça e acredito que ele será absolvido", afirma. 

Para Barroso, a juíza foi justa ao entender que o 'Pastor do Mercado' estava preso por um período excessivo sem que tivesse sido julgado e que todas as diligências tivessem sido realizadas. "Ele sempre negou que tenha agredido as mulheres, mas que foi agredido por elas e apenas se defendeu", acrescenta. 

continua após publicidade

De acordo com o advogado, em relação aos outros dois casos, eles ainda estão na fase de investigação, em inquérito policial. "O 'Pastor do Mercado' sequer foi ouvido e nem teve oportunidade de apresentar sua versão dos fatos e arrolar testemunhas", reforça. 

Entenda o caso

Na época, a polícia informou que a idosa, de 62 anos, sofreu várias lesões no braço e precisou passar por cirurgia. A agressão contra ela aconteceu no dia 24/01/2022. Ainda de acordo com a Polícia Civil, as outras agressões foram em dias diferentes, e uma das mulheres quebrou o nariz. A data e mais detalhes ainda não foram repassados. 

A Polícia Civil representou pela prisão preventiva do vereador, que foi cumprida nesta segunda-feira (31). O caso segue sendo investigado, para descobrir a motivação das agressões e o relacionamento do parlamentar com as vítimas.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News