Arapongas

Araponguense adota três irmãs e realiza o sonho de ser mãe

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Araponguense adota três irmãs e realiza o sonho de ser mãe
Araponguense adota três irmãs e realiza o sonho de ser mãe

Após inúmeras tentativas de engravidar, diversos médicos e tratamentos, a professora de Arapongas Elaine Cristina Pinheiro Faverzani desistiu de ter uma gestação. Porém, não abriu mão de se tornar mãe.

continua após publicidade

Ela e o marido, Alex Faverzani que são casados há 7 anos, adotaram três irmãs e hoje são completamente felizes com a família grande.

O casal entrou na justiça com o processo de pedido de adoção em março de 2018. “Nosso perfil era bem aberto, aceitávamos crianças de até oito anos, com doenças tratáveis independente de raça. Fizemos todas as entrevistas, preparação e após mais ou menos um ano saiu nossa habilitação, documento que garante a adoção. Nós entramos em grupos de busca ativa, em que os pais procuraram os filhos, crianças que estão em abrigo e fora do perfil que a maioria procura”, explica. 

continua após publicidade

No final de agosto de 2019 a família recebeu a história de três irmãs que estavam em um abrigo. Elaine se comoveu e tinha certeza que as meninas que na época tinham 4,6 e 7 anos, eram para ser suas filhas. “Nosso primeiro encontro aconteceu em setembro de 2019, foram 15 dias de aproximação, depois elas vieram para casa. Em janeiro de 2020 foi a audiência final e conseguimos a guarda definitiva das minhas filhas. A do meio é uma criança especial, que estuda da APAE, tem suas particularidades e é incrível. A mais velha também tem suas particularidades. São crianças que não estavam dentro do perfil que a maioria das pessoas buscam, mas que se encaixaram perfeitamente em nossa vida”, conta a professora.

Neste dia das mães, Elaine comemora e se emocionada, por passar a data como sempre sonhou.  “Sempre desejei ser mãe, ter filho, a adoção eu já pensava, mas pensei que teria um filho biológico primeiro. É maravilhoso sentir esse amor. Minha vida mudou totalmente, mas de uma maneira muito positiva. Não consigo imaginar minha vida sem minhas filhas, tudo que eu faço é pensando nelas. Me sinto 100% mãe, e fico emocionada quando vou falar da nossa história de amor, desse encontro de amor inexplicável”, finaliza.