Arapongas

Adolescente é apreendido com crack enquanto empinava pipa em Arapongas

Menor, de 17 anos, empinava pipa numa área já conhecida da Polícia Militar pelo tráfico de drogas. Ele tinha crack escondida no carretel de linha

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
IMAGEM ILUSTRATIVA - o rapaz de Arapongas foi abordado pela PM quando empinava pipa, no Flamingos.
fonte: Arquivo/Comunicação/Prefeitura de Curitiba
IMAGEM ILUSTRATIVA - o rapaz de Arapongas foi abordado pela PM quando empinava pipa, no Flamingos.

Uma equipe da 7ª Companhia Independente da Polícia Militar de Arapongas apreendeu, no final da tarde desta segunda-feira (25), um garoto que, aparentemente, curtia a inocente brincadeira de empinar pipas na vila, com amigos. Porém, o adolescente, de 17 anos, já é conhecido por envolvimento em crimes e foi flagrado com duas pedras de crack, escondidas no carretel de linha da pipa.

continua após publicidade

Segundo o relatório da Polícia Militar, a equipe fez o patrulhamento no Jardim Flamingos após ser acionada pelo serviço reservado, que vinha monitorando a movimentação intensa em uma localidade já conhecida como ponto de tráfico. O menor, já conhecido no meio policial, vinha sendo observado.

A equipe se deslocou e avistou o adolescente, que estava soltando pipa. Ao perceber a presença da viatura, ele teria escondido algo no carretel de linha do brinquedo. Os policiais militares fizeram a abordagem do menor e encontraram duas pedras de crack, que estavam escondidas no carretel.

continua após publicidade

O adolescente, de 17 anos, já possui antecedentes, por envolvimento em crimes como furto, associação criminosa e tráfico de entorpecentes. As duas pedras de crack estavam embaladas e prontas para venda. O rapaz informou, no entanto, que a droga pertenceria a outro menor.  Ele tinha R$ 517 em dinheiro, com ele, no momento da apreensão.

Ao ser apreendido, o adolescente teria se alterado, conforme os policiais, o que os obrigou a usar algemas para conter o rapaz. Uma mulher, que se apresentou como avó do adolescente, foi notificada sobre a ocorrência e se prontificou a ir até a sede da Polícia Militar para acompanhar o registro da ocorrência. O pai do adolescente compareceu também para acompanhar o caso.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News