Mais lidas
Ver todos

    Arapongas

    Defesa aponta que vítima teve culpa pelo atropelamento, em Arapongas

    Vanessa Prado, vítima fatal do acidente.
    Foto por
    Escrito por Da Redação
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    A defesa de Rodrigo Batistoni, apontado como responsável pela morte da pedestre Vanessa Prado, de 33 anos, depois de um atropelamento em Arapongas, em março de 2019, apresentou novos documentos nesta semana, em que afirma que a vítima também foi culpada pelo acidente.

    De acordo com o advogado de Batistoni, a pedestre caminhava pela rua, mesmo havendo calçada no local, e por essa razão, ‘a conduta da vítima foi decisiva para o acidente acontecer’, diz o documento.

    Ainda de acordo com a defesa do acusado, um laudo particular demonstra que ele estaria em velocidade inferior à máxima permitida na via, e que o ocorrido teria sido uma fatalidade, por isso, não caberia indenização por danos morais, como pede a família.

    Batistoni aguarda julgamento em liberdade, com uso de tornozeleira eletrônica. A 1ª Vara Criminal de Arapongas determinou que o réu, vá a júri popular pelos crimes de homicídio, fraude processual e omissão de socorro.

    A juíza Raphaella Benetti da Cunha Rios aceitou a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR) de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar, por estar dirigindo em alta velocidade, na contramão e após o consumo de álcool.

    Ele também vai a júri pelos crimes de omissão de socorro, por ter fugido do local, e fraude processual, por ter consertado o carro que ficou danificado com o atropelamento.

    A data do julgamento ainda não foi marcada. A juíza afirmou que, por mais que o réu tenha sido pronunciado por fraude processual, ele deve aguardar pelo júri em liberdade por não oferecer mais riscos à investigação.

    O caso

    Na madrugada de 3 de março de 2019, segundo a Polícia Civil, Batistoni atropelou Vanessa, o namorado dela e um amigo. Os três pedestres voltavam de um evento em uma igreja católica.

    O amigo e o namorado de Vanessa não sofreram ferimentos. A pedestre foi internada e morreu no hospital.
    A guarda dos três filhos de Vanessa, dois meninos de 7 e 12 anos, e uma adolescente de 16 anos, ficou com os pais dela.

    Com informações, G1.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Prefeito Sérgio Onofre fala sobre o enfrentamento da pandemia.

    Deixe seu comentário sobre: "Defesa aponta que vítima teve culpa pelo atropelamento, em Arapongas"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.