Arapongas

IV Encontro Municipal de Mobilização Nacional Pró-saúde da população negra debate ações

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia IV Encontro Municipal de Mobilização Nacional Pró-saúde da população negra debate ações
IV Encontro Municipal de Mobilização Nacional Pró-saúde da população negra debate ações

Temas como: intolerância religiosa com ênfase nas religiões de matriz africana e saúde, direitos humanos e população negra, direitos sexuais e reprodutivos, doenças prevalentes na população negra, ações de igualdade racial, segurança alimentar, entre demais questões pertinentes foram discutidas durante o IV Encontro Municipal de Mobilização Nacional Pró-saúde da população negra - VIDA LONGA COM SAÚDE E SEM RACISMO DE ARAPONGAS( PR), realizado no último final de semana. O encontro aconteceu na sede das entidades  Ilé Àse Ti Tóbi Ìyá Àfin Òsùn Alákétu e AIABA - Associação Interdisciplinar Afro-Brasileira e Africana - no  Jd. Alto da Boa Vista. 

continua após publicidade

O evento contou com a presença de autoridades, entre elas, o prefeito Sérgio Onofre, secretário de Saúde, Moacir Paludetto Júnior, secretária de Assistência Social, Ismailda Ferreira de Lima da Silva, secretário de Administração, Valdecir Scarcelli, representante da sociedade civil de interesse público e entidade religiosa de matriz africana, Ìyá Joilda, representantes da 16ªR.S, demais entidades, clubes de serviços e comunidade.

Para o secretário de saúde, Paludetto Júnior, ações que promovam discussões voltadas à saúde são essenciais para a qualidade no atendimento. “Por mais um ano, o tema saúde da população negra foi abordado em um evento sério, com a participação de um grupo importante. Com discussões necessárias, com ações que vão ao encontro das necessidades da população. Ter uma rede integrada de saúde, onde todos possam ser atendidos com dignidade e atenção é fazer uma gestão em saúde de qualidade”, enfatiza.

continua após publicidade

Conforme uma das organizadoras do evento,  Ìyá Joilda, o município de Arapongas tem se mantido atento às questões que envolvem a população negra, sempre unindo esforços pela bem da comunidade. “Além de discutirmos questões voltadas à saúde, trazemos em pauta também questões religiosas, políticas sociais, combate à violência, entre tantos outros. Como representantes da população negra, devemos estar atentos à muitas questões, fortalecendo a igualdade racial e social. Por isso, a mobilização neste sentido é importante, e ficamos satisfeitos com os resultados. Desta forma, colocamos em prática e buscamos aperfeiçoar cada vez mais nossas ações voltadas aos negros”, afirma.

O prefeito Sérgio Onofre, enalteceu a importância de ações que beneficiem a população negra, nos mais variados aspectos.” Essa é uma luta que deve ser diária, por igualdade, melhores condições de saúde e assistência, segurança, entre outros. Infelizmente, estatísticas apontam um abismo racial ainda registrado em nosso país, por isso, acreditamos que buscando mudanças positivas em nossa cidade, podemos contribuir com uma transformação, que pode romper barreiras. Estamos juntos nessa causa, por uma cidade e gestão melhor para todos os povos”, salientou.

Dados Sesa

continua após publicidade

A Secretaria de Saúde do Paraná( Sesa) discute  o Plano Estadual de Saúde com ações estratégicas de promoção à saúde da população negra que soma 3,518 milhões de pessoas e corresponde a 31% dos paranaenses .

Ações - A Secretaria da Saúde do Paraná desenvolve ações dirigidas à população negra e territórios quilombolas com apoio dos municípios. “Temos um incentivo estadual repassado aos municípios que têm essas comunidades. Hoje são 18 cidades recebendo os incentivos que são destinados à promoção da saúde. Em contrapartida, os municípios mantêm agentes comunitários acompanhando diretamente os moradores das comunidades”, explicou Lucimar Godoi, da Divisão de Comunidades Vulneráveis da Sesa.

A estratificação de gestantes negras para acompanhamento da doença genética falciforme é outra ação dirigida da Sesa. A doença é hereditária prevalecente nos negros, com frequências de 6% a 10% desta população. Leva a uma deformação de glóbulos vermelhos e dificulta a circulação sanguínea.

continua após publicidade

“Logo que a gestante procura o serviço de saúde e se autodeclara negra, preta ou parda, recebe sinalização de risco intermediário e tem tratamento dirigido para prevenção de agravos que podem prejudicar o desenvolvimento do bebê. Este cuidado ainda se estende a diabetes do tipo II e hipertensão arterial. O atendimento direcionado às gestantes negras acontece nos 399 municípios do Paraná”, relata a técnica da Divisão.

Novembro é o mês da Consciência Negra no país e várias atividades serão programadas pelo Sudis. A Sesa participará de evento alusivo à data com a participação das Regionais de Saúde. 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra.