Facebook Img Logo
Mais lidas
Arapongas

Arapongas fecha Agência do Ministério do Trabalho

.

O único funcionário que trabalhava na unidade do MT de Arapongas foi transferido para a agência de Apucarana Foto: Tribuna do Norte
O único funcionário que trabalhava na unidade do MT de Arapongas foi transferido para a agência de Apucarana Foto: Tribuna do Norte

O Ministério do Trabalho decidiu fechar a agência regional do órgão no município de Arapongas. Com isso, empresas que precisem dos serviços do ministério precisam se deslocar para Apucarana ou Londrina. O único funcionário que trabalhava na unidade foi transferido para a agência de Apucarana. Agora, apenas dois servidores são responsáveis por atender cerca de 20 municípios.

O fechamento aconteceu há cerca de um mês, de acordo com o chefe da unidade de Apucarana, Anacleto Romagnoli Filho. “Agora, estamos também recebendo demandas de Arapongas, Sabáudia e, eventualmente, Astorga. Apesar da demanda ter aumentado, ao menos agora é possível tirar férias sem precisar manter a agência fechada no período”, diz.

Romagnoli era o único funcionário da agência desde junho de 2017, quando uma servidora se aposentou. O funcionário responsável pela unidade de Arapongas já está lotado em Apucarana. No entanto, logo após o fechamento da agência, ele saiu de férias, retornando hoje. De acordo com o chefe da agência de Apucarana, o funcionário será responsável por serviços administrativos gerais, como processos de seguro-desemprego e acordos entre empresas e empregados, entre outros.

Situação complicada
“É uma situação complicada. Ao todo, atendemos aproximadamente 20 municípios. É um trabalho grande para um número reduzido de servidores”, afirma Romagnoli. Ele lembra que, desde 2014, a agência espera por um funcionário próprio para realizar a fiscalização das empresas na região. O fiscal anterior foi transferido e ninguém foi designado para o posto até hoje. Sem fiscal próprio, o órgão precisa esperar por um profissional de Londrina, que pode demorar até 30 dias para atender ao chamado.

Sindicatos
A ausência de um escritório do Ministério do Trabalho em Arapongas gera reclamações dos sindicatos da cidade. “Não ter uma agência na cidade é bastante prejudicial aos sindicatos e, consequentemente, aos trabalhadores. Toda requisição que precisarmos fazer a partir de agora vai demandar mais tempo, já que vamos precisar nos deslocar até outra cidade, e também irá gerar mais custos”, diz Carlos Roberto da Cunha, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Arapongas (Sticma).

Ele aponta ainda que o fechamento da agência acontece em um momento crucial. “Com a Reforma Trabalhista, seria muito importante ter o órgão na cidade, com o intuito de auxiliar e tirar dúvidas”. O sindicato representa mais de 10 mil trabalhadores.Diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Arapongas e Rolândia (Stiaar), Aparecido Pinheiro Barbosa também lamenta. 

“O tempo e dinheiro a mais que precisarão ser disponibilizados a cada ida ao Ministério do Trabalho gera prejuízo a nós. O trabalhador que tiver que ir a Apucarana ou Londrina também é prejudicado, perdendo pelo menos metade do dia de trabalho”, afirma. O sindicato representa 2,3 mil trabalhadores.A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Ministério do Trabalho, em Brasília, para comentar sobre o fechamento da unidade de Arapongas, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição. 

Fonte: Tribuna do Norte - Diário do Paraná

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Arapongas

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber