Arapongas

Câmara de Arapongas cassa mandato de vereador 

Da Redação ·
Maringá é acusado de superfaturar um contrato para digitalização do acervo do Legislativo. Foto: Tribuna do Norte
Maringá é acusado de superfaturar um contrato para digitalização do acervo do Legislativo. Foto: Tribuna do Norte

A Câmara de Arapongas (norte do Paraná) votou na quinta-feira (17) à noite, em sessão especial, o relatório da Comissão Processante que na resultou cassação do vereador Valdeir José Pereira (PHS), conhecido como Maringá. O parlamentar é acusado de superfaturar um contrato para digitalização do acervo do Legislativo, quando era presidente da Casa. A sessão terminou por volta da meia noite e Maringá foi cassado por unanimidade.

continua após publicidade

Pereira foi preso temporariamente em 9 de maio, durante uma operação do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e deixou a cadeia quatro dias depois, no dia 13 de maio. Ele foi afastado da Câmara por uma decisão judicial.

Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o vereador manteve um contrato superfaturado para a digitalização do acervo físico da Câmara, e recebeu pagamentos mensais de R$ 22 mil em propina, em 2015 e 2016.

continua após publicidade

Uma ação que corre na Justiça apura os crimes de fraude em licitação, corrupção e lavagem de dinheiro. As penas para esses podem passar dos trinta anos de prisão. Atualmente ele responde ao processo em liberdade e passou a colaborar com as investigações. 

A punição máxima é defendida pelo MP-PR, por entender que o vereador traiu a honra do Legislativo e a confiança do eleitor. O julgamento ainda não tem data definida para acontecer.

Recurso
Logo após o término da sessão, o advogado Oduvaldo Calixto, que defende o vereador Maringá, informou que vai recorrer da decisão.