Arapongas

Por unanimidade, TRE rejeita ação contra prefeito eleito Sérgio Onofre

Da Redação ·
A coligação adversária pediu indeferimento do registro de Sérgio Onofre. Foto: Delair Garcia
A coligação adversária pediu indeferimento do registro de Sérgio Onofre. Foto: Delair Garcia

Por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) rejeitou ontem ação de investigação eleitoral movida pela coligação “Honestidade e Transparência”, do atual prefeito de Arapongas, Antônio José Beffa (PHS), contra o candidato a prefeito eleito Sérgio Onofre da Silva (PSC).

continua após publicidade

A coligação adversária entrou com ação na 61ª Zona Eleitoral de Arapongas pedindo o indeferimento do registro de Sérgio Onofre, alegando sua inelegibilidade em função de contas pendentes de quando ele foi presidente do Legislativo entre 2006 e 2008. Como a ação foi julgada improcedente em primeira instância, a coligação recorreu no TRE-PR, que rejeitou o recurso.

O advogado Leandro Rosa, de Curitiba, explica que Onofre teve suas contas questionadas porque, na época, a lei permitia o pagamento de sessões extraordinárias aos vereadores. No entanto, a legislação foi modificada posteriormente e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) acabou considerando a prestação de contas daquela gestão irregular. “Nós então entramos na Justiça para suspender os efeitos dessa decisão do TCE-PR e, agora, o Tribunal Regional Eleitoral garantiu a elegibilidade de Onofre por unanimidade, confirmando o entendimento de primeira instância”, assinala o advogado.

continua após publicidade

Onofre, por sua vez, criticou as ações judiciais dos adversários. “A administração municipal atual parece que não quer aceitar o resultado das urnas, a opinião da população de Arapongas”, afirmou Sérgio Onofre. Segundo ele, “esse povo deveria parar com essas ações e respeitar mais a vontade popular”, declarou. Sérgio Onofre também questiona onde a coligação do Padre Beffa estaria conseguindo recursos para contratar um advogado de Brasília para mover ações contra sua candidatura. “Um advogado de Brasília não deve vir ao Paraná trabalhar por pouca coisa”, acredita Onofre.