Arapongas

Secretaria de Meio Ambiente multa empresa em R$ 20 mil por poluição

Da Redação ·
Equipes foram ao local na última sexta-feira e não encontraram vestígios de sangue - Foto: Dia a Dia Arapongas
Equipes foram ao local na última sexta-feira e não encontraram vestígios de sangue - Foto: Dia a Dia Arapongas

A Secretaria Municipal da Agricultura, Serviços e Meio Ambiente de Arapongas, confirmou na tarde desta quarta-feira (13), que multou um frigorífico em aproximadamente R$ 20 mil pelo despejo irregular de resíduos no Ribeirão Bandeirantes. O vazamento ocorreu na última quinta-feira (7), no entanto, a informação só chegou ao conhecimento da secretaria e Guarda Ambiental no dia seguinte. O secretário da pasta, Roberto Dias dos Santos, disse que soube do crime ambiental por meio da divulgação de fotos publicadas na internet por moradores. A proprietária da empresa alega que o problema foi causado por um incidente com a empresa responsável pela coleta de resíduos e afirma que acionou os órgãos competentes logo após o vazamento.

continua após publicidade

De acordo com o secretário, uma equipe foi ao local na sexta e não encontrou vestígios de sangue na água. "Após tomar conhecimento do fato nos dirigimos até o local, fizemos fiscalização, e no primeiro momento não identificamos nenhuma irregularidade", reitera.

A secretaria se preparava para iniciar um procedimento para investigar o caso, quando na segunda-feira (11) recebeu um ofício da empresa Frigomax, localizada no Jardim Bandeirantes. "A direção do frigorífico se manifestou sobre o ocorrido alegando que houve um incidente na quinta-feira com o caminhão que recolhe o sangue e encaminha para tratamento. O motorista teria realizado uma manobra e causado derramamento", informa.

continua após publicidade

De acordo com o secretário, a empresa foi autuada e multada, no entanto, tem prazo de 30 dias para recorrer.

O secretário ainda pediu colaboração da população para que as denúncias sejam formalizadas nos órgãos competentes. "Quando houve o vazamento na quinta-feira a secretaria não foi acionada. Não recebemos denúncia. Tomei conhecimento na sexta, devido as imagens que estavam circulando na internet. Entendo que a internet é um mecanismo eficaz de denúncia mas essa situação deveria ter sido repassada para nós primeiro, enquanto secretaria", destaca.

OUTRO LADO - A proprietária do Frigomax, Silvia Maria Muffo, alega que foi um pequeno vazamento, com menos de 20 segundos de duração. Segundo ela, um laudo foi emitido pela Polícia Ambiental confirmando que não houve contaminação da água.

continua após publicidade

"O problema já foi corrigido e todos sabem que o terreno do frigorífico foi abalado com os desmoronamentos. As nascentes estão soterradas e eu estou aguardando a prefeitura fazer alguma coisa. E fui eu quem avisou a secretaria e também o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a promotoria logo após o ocorrido", diz.

A empresária disse que não recebeu o auto de infração e que está dentro do prazo estipulado para defesa. “Já estão me penalizando, dizendo que eu já fui multada, mas eu ainda nem apresentei minha defesa”, diz.