Mais lidas
Arapongas

USP vai investigar supostos tremores de terra em Arapongas 

.

Pedreiro Francisco Batista Filho, 56 anos, mostra rachadura em casa (Foto: Sérgio Rodrigo)
Pedreiro Francisco Batista Filho, 56 anos, mostra rachadura em casa (Foto: Sérgio Rodrigo)

Os tremores de terra sentidos por moradores na madrugada de terça-feira (12/01), em Arapongas, serão investigados pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). A informação foi repassada pelo prefeito em exercício, Pedro Paulo Bazana (PV), durante coletiva de imprensa, realizada na tarde desta quarta-feira (13/01), no auditório da prefeitura.

De acordo com Bazana, pesquisadores da USP, que estão em Londrina investigando abalos sísmicos naquela cidade, também vão averiguar o que aconteceu em Arapongas. Mais de 100 famílias foram afetadas pelos estragos das chuvas que atingiram a região e a maior parte relatou o surgimento de rachaduras em suas residências. Os moradores também afirmam que sentiram tremores por volta das 2 horas da madrugada. 

“As equipes da USP trouxeram aparelhos, mas até o momento não possuem informações técnicas. Então não vou alarmar a população porque em breve as equipes da USP vão preparar um relatório”, disse.  Contudo, o Corpo de Bombeiros acredita que as rachaduras podem ter sido provocadas pela intensidade da chuva que causou deslocamento de terra.

Era por volta das 2 da madrugada de terça-feira quando a família Batista acordou assustada com um forte estrondo. Os moradores do Jardim Araucária, foram surpreendidos com rachaduras em vários cômodos da casa. Na edícula, a parede quase desmoronou. 

“Fiquei com muito medo. Nem conseguimos voltar a dormir”, disse o  o. A família está preocupada e cogita deixar o imóvel temendo desabamento. “Moramos há 6 anos no local e nunca vi nenhuma goteira na minha casa. Não sei o que pode ter acontecido”, comenta a esposa Maria batista.  

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber