Arapongas

PRF coloca fim a bloqueio da BR-369 realizado por caminhoneiros em  Arapongas

Da Redação ·
Ontem a PRF já havia desbloqueado a BR-376, em Apucarana - Foto: Dirceu Lopes
Ontem a PRF já havia desbloqueado a BR-376, em Apucarana - Foto: Dirceu Lopes

Dezenas de policiais rodoviários federais ocupando 15 viaturas cumpriram ordem judicial, por volta das 9h30 desta sexta-feira (27), e desbloquearam a BR-369 (Rodovia Mello Peixoto), próximo à praça de pedágio da concessionária Viapar, no município de Arapongas. O bloqueio era realizado por caminhoneiros que ainda protestavam contra o preço do óleo diesel, das tarifas de pedágio e dos valores pagos pelo fretes, entre outros itens.  

continua após publicidade

Policiais rodoviários federais ocupando 15 viaturas
cumpriram ordem judicial - Foto: Dirceu Lopes

continua após publicidade



Uma cópia de determinação judicial (liminar) para desocupação da estrada foi entregue pela PRF aos caminhoneiros, que deixaram o local de forma ordeira e pacífica.

APUCARANA - Ontem (26) pela manhã a PRF já havia dado fim a bloqueio de caminhoneiros no km 245 da BR-376, próximo à Cocamar, em Apucarana. No entanto, os profissionais do volante ainda realizam protestos em rodovias estaduais, como a PR-444, em Arapongas, e na PR-466, em Jardim Alegre. 

PRF colocou fim a bloqueio da BR-369 realizado 
por caminhoneiros em  Arapongas - Foto: Dirceu Lopes



ACORDO - Após reunião no Ministério dos Transportes, que durou a tarde e parte da noite da quarta-feira (25), governo e caminhoneiros chegaram a um acordo que pode acabar com os protestos nas rodovias federais. Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, que participou da reunião, a proposta apresentada pelo governo foi acatada pelos representantes da categoria presentes à mesa de negociação.

Dirigentes de sindicatos e lideranças de caminhoneiros autônomos em reunião com representantes do governo no Ministério dos Transportes Antonio Cruz/Agência Brasil Pela proposta, o governo promete sancionar a Lei dos Caminhoneiros sem vetos, prorrogar por 12 meses o pagamento de caminhões por meio do Programa Procaminhoneiro e criar, por meio de negociação entre caminhoneiros e empresários, uma tabela referencial de frete. Nesse item, os representantes dos caminhoneiros pediram que o governo atue na mediação com os empresários. 

O presidente da CNTA considerou que o acordo trouxe ganhos históricos para a categoria. Segundo Diumar Bueno, os caminhoneiros tiveram conquistas efetivas na mesa de negociação. 


Leia mais na edição de sábado da Tribuna do Norte - Diário do Paraná