Arapongas

Evento reúne colecionadores da cidade

Da Redação ·
Keredine Ghannoun tem mais de mil peças em sua coleção
fonte: Foto: Thamiris Geraldini
Keredine Ghannoun tem mais de mil peças em sua coleção

Um evento cultural voltado para aproximar os colecionadores do município. Com esse mote, a Secretaria de Cultura de Arapongas abriu espaço para que expositores pudessem, muitos pela primeira vez, mostrar ao público suas paixões. A exposição, que teve início na última segunda-feira, apresentou uma coleção repleta de objetos de diversas pessoas aficionadas pelo hobby. 

continua após publicidade

Durante o evento, é possível perceber que a atividade é multifacetada. É possível encontrar moedas, cédulas, figurinhas, bicicletas, cartões telefônicos, máquinas fotográficas, relógios, gibis, chaveiros e até carrinhos em miniaturas, todos objetos emoldurados a partir de escolhas pessoais que à vista parecem ter pouco valor a outras pessoas, mas que para os colecionadores são verdadeiros tesouros.

De acordo com o coordenador do Museu de Arte e História de Arapongas e organizador do 1º Encontro de Multicolecionismo, Gean Carlo Cereia, que acontece na Biblioteca Pública, a iniciativa tem como objetivo reunir os apaixonados por colecionar, além de estimular novos colecionadores. “Este evento abre os olhos de muita gente para o hobby de colecionar”.

continua após publicidade

Na opinião dele, apresentar itens colecionáveis é uma forma de cultivar a história e a cultura. “Tornar-se um colecionador é algo completamente cultural e histórico, porque, além de forçar o colecionador a estudar o contexto histórico e cultural da peça colecionada, manter um item é uma forma de preservar a história”, diz.
O colecionador e expositor Keredine Ghannoun, 45 anos, é um exemplo de que o ato ajuda a manter a história de épocas que não voltam mais. Dos mais de mil objetos colecionados por ele, entre relógios, moedas, câmeras, entre outros, a grande maioria é resultado de um longo período em que ele morou fora do país.

“Eu morei por 30 anos nos Estados Unidos, lá, desde criança, eu gostava muito dos Garage Sales [situação tradicional no país, onde se colocam à venda, no quintal das casas e em garagens, objetos que o proprietário quer se desfazer]. Desde aquela época eu adquiria objetos e ia colecionando. Hoje ter uma coleção como a que eu tenho, além de ser uma paixão, é uma forma de também memorar o que vivi fora do Brasil. Gostei muito da oportunidade de poder expor um pouco da minha paixão por objetos colecionáveis à outras pessoas”.

TROCAS

continua após publicidade

Além de poder expor suas peças, os colecionadores tiveram oportunidade de fazer trocas e vendas entre os demais expositores. “Como são peças antigas e muitas já nem existem mais no mercado, essa foi uma ótima oportunidade de fazer trocas de materiais entre os colecionadores.

Às vezes eu tenho um objeto repetido, que é do agrado de um outro colecionador e vice-versa. Essa permuta é muito proveitosa e nos ajuda a manter nossas coleções”, explica Ghannoun.


A Secretaria de Cultura, em parceria com o Museu de Arte e História de Arapongas, pretende tornar o evento de multicolecionismo constante no calendário cultural do araponguense. O projeto é fazer edições trimestrais dos encontros. Estima-se que a cidade tenha cerca de 60 colecionadores com grande acervo em atividade.