Arapongas

Projeto do contorno é entregue ao DER

Da Redação ·

A concessionária Viapar, que administra a BR-369 em Arapongas, finalizou recentemente o projeto para a construção do contorno oeste de Arapongas. O desvio, que pretende desafogar o trânsito da Avenida Maracanã, teve o valor orçado em R$ 112 milhões. A previsão é que as obras iniciam em janeiro de 2015 com finalização em dois anos. 

continua após publicidade

Agora, o projeto está sendo analisado pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER), que deve fazer a desapropriação dos terrenos por onde a nova rodovia passará.

De acordo com a nota oficial da concessionária encaminhada à redação a intersecção entre a nova pista a a BR-369 será nos quilômetros 179 e 189.

continua após publicidade

O contorno será construído em pista dupla. A previsão inicial é de que o desvio tenha 10,2 quilômetros de extensão. O acordo da Viapar com o Governo Estadual prevê que a obra seja iniciada em 2015 e finalizada até o fim de 2016.

Ainda segundo a nota oficial da Viapar, “até o momento as atividades referentes aos projetos e licenciamento ambiental encontram-se dentro do previsto”.

O prefeito de Arapongas, Antônio José Beffa (PHS), destaca a importância do projeto. “O contorno será muito importante porque cerca de 40% da movimentação na Avenida Maracanã será desviada. Essa movimentação é composta principalmente de veículos pesados e por isso não devem afetar o comércio na via. Já conversamos com os comerciantes e eles também acreditam que o contorno não irá impactar muito o comércio”.

continua após publicidade

Beffa também afirma que a administração municipal já se colocou à disposição para auxiliar no que for preciso. “Temos entrado em contato com o DER. Estamos auxiliando nas conversas com imobiliárias para que as terras sejam avaliadas, com o objetivo de ser feita a desapropriação. Esperamos que tudo esteja pronto para que a obra seja iniciada o quanto antes”.

Todos os dias, aproximadamente 14 mil veículos cortam Arapongas através da Avenida Maracanã. Muitos são caminhões que apenas passam pelo município, contribuindo apenas para o aumento do risco de acidentes e atrapalhando o tráfego no perímetro urbano. O trecho faz parte da principal rota de ligação do sudoeste paranaense com a cidade de Londrina e interior do estado de São Paulo.

Fotos: Sérgio Rodrigo