Arapongas

Arapongas é o único município do PR a racionar água

Da Redação ·
prazo para que a Sanepar encerre o racionamento em Arapongas está programado para o dia 31 de março (Foto: Sérgio Tibi)
fonte:
prazo para que a Sanepar encerre o racionamento em Arapongas está programado para o dia 31 de março (Foto: Sérgio Tibi)

As chuvas registradas no fim de semana foram suficientes para fazer a Sanepar suspender o racionamento em cinco das seis cidades onde a medida havia sido adotada. Assis Chateubriand, Francisco Beltrão, Toledo, Ponta Grossa e Guarapuava já estão com a distribuição de água normalizada. Arapongas é o único município onde o desabastecimento, além de ainda não ter sido interrompido, pode ter o prazo estendido. A medida foi iniciada no domingo.
 

continua após publicidade
confira também



Segundo o gerente regional da Sanepar, Luiz Alberto da Silva, as cidades onde o racionamento foi suspenso sofriam apenas com o problema da estiagem. “Os fatores da imposição do rodízio são diferentes dos de Arapongas. Nestas cidades, assim que choveu, o abastecimento voltou e o racionamento pôde ser suspenso”, diz.

Segundo ele, em Arapongas a situação é diferente e o rodízio de água foi implantado por três motivos: as altas temperaturas que aumentam o consumo, o desequilíbrio de produção e demanda e a necessidade de injeção de água no sistema.

“Nosso problema não é a falta de chuva. Eu não capto água em represa, se chover ou não, vou produzir 900 m³ de água por hora. O fator climático não influencia na produção de água, mas no consumo da população. Com a queda nas temperaturas tivemos um dos problemas resolvidos, mas o fato de um ter sido eliminado não anula os outros a ponto de eu conseguir encerrar o rodízio”, explica.

Antes do calor intenso, havia uma defasagem de 30% entre a produção e a demanda, o que provocava o desabastecimento desequilibrado em alguns pontos da cidade. Com o racionamento, a Sanepar tem conseguido reservar uma média de seis milhões de litros por dia.

Apesar da medida propiciar economia de água, o problema da defasagem só deve ser resolvido quando o primeiro poço for ativado. A previsão é que ele entre em funcionamento no começo de abril.

“Só vamos conseguir suspender o racionamento quando os três fatores estiverem resolvidos. Antes de conseguir ativar o primeiro poço é pouquíssimo provável que a gente suspenda o racionamento antes do prazo programado. É mais fácil estendermos este prazo do que diminuirmos”, acredita. 

O prazo para que a Sanepar encerre o racionamento em Arapongas está programado para o dia 31 de março.

RECLAMAÇÕES
Mesmo com as críticas em torno do desabastecimento da cidade, o gerente regional da Sanepar, Luiz Alberto da Silva, garante que a Companhia sentiu uma redução de 70% no índice de reclamações.

A população, entretanto, está se mobilizando em um protesto pacífico que acontecerá neste sábado (22), às 16h, em frente à Sanepar. Até o fechamento desta edição, quase 200 pessoas haviam confirmado presença no evento que está sendo organizado em uma rede social na internet.