Arapongas

Arapongas abre 55 vagas de internação de dependentes químicos

Da Redação ·
Arapongas abre 55 vagas de internação de dependentes químicos (Arquivo)
Arapongas abre 55 vagas de internação de dependentes químicos (Arquivo)

Em Arapongas, mesmo os interessados em abandonar a drogadição não têm um canal especializado a recorrer. Nenhuma entidade voltada ao tratamento da dependência química atende no município de mais de 112 mil habitantes e oferta internamentos. Para suprir a carência, a prefeitura trabalha para credenciar duas instituições. Com isso, a intenção é abrir 55 vagas, cinco para internações compulsórias.

O secretário de Saúde, Alcides Livrari Júnior, afirma que esse é um dos principais problemas do setor. Segundo ele, em média, 60 pessoas por mês procuram o departamento de assistência social para solicitar internação por dependência de álcool, drogas e transtornos mentais. “São serviços que Arapongas nunca teve”, sublinha Livrari.

O primeiro edital visa credenciar uma instituição que atenda pacientes, adultos e adolescentes de ambos os sexos, por determinação da Justiça, em internação compulsória, indicada em caso de recusa no tratamento. O segundo, abrangerá adultos e adolescentes em regime de internação espontânea. Neste caso, serão 50 vagas (30 masculino adulto, 10 feminino adulto e 10 para adolescentes). Inicialmente, o credenciamento vai até 29 de novembro. 
 

continua após publicidade
confira também



O município também acaba de obter autorização do Ministério da Saúde para construir duas unidades do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), um para pessoas com transtornos mentais e outro para usuários de álcool e drogas. “No mais tardar, os atendimentos nos CAPS, serão iniciados no início de 2014”, estima o secretário de saúde. Atualmente, os pacientes da cidade são atendidos em centros de outros municípios da região, como Apucarana e Cambira.

RAIO-X
A prefeitura também iniciou ontem credenciamento de empresas do município que façam exames de raio-x, excluindo a necessidade dos usuários terem que se dirigir ao Cisvir, em Apucarana para fazer o exame. “Cerca de 100 pessoas fazem esse procedimento por semana”, afirma Livrari.