Arapongas

Abraço ecológico inicia mobilização pelo Parque dos Pássaros

Da Redação ·

Abraço ecológico inicia mobilização pelo Parque dos Pássaros Um “abraço” no Parque dos Pássaros. Essa foi a intenção de professores, alunos e representantes de entidades, na tarde desta quinta-feira (06), como parte da programação da Semana do Meio Ambiente e também como forma de alerta às autoridades sobre as condições precárias em que se encontra o local. “Esta é uma área de lazer muito importante, localizada próxima ao centro da cidade. Precisa ser recuperada e preservada”, afirma Kátia Aparecida Teixeira Simei, diretora da Escola Municipal Júlio Savieto.

continua após publicidade

Auxiliada pela supervisora Ângela Maria Jacometo de Lima, ela levou seus alunos e professores para o local. “É uma pena que o Parque dos Pássaros tenha ficado na situação em que se encontra, pois muitas famílias vinham  passar aqui o final de semana, os feriados e as horas de folga”, acrescenta Salvador Carvalho dos Santos, gerente ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. A boa notícia,  segundo ele e o vereador Airton Bérgamo, o “Batata” (PV), é que as melhorias no parque já foram determinadas pelo prefeito Antônio José Beffa e licitadas, devendo as obras começar em  breve.

continua após publicidade

Nesta primeira etapa, está previsto o investimento de R$ 300 mil. Também se estuda  a possibilidade de levar para o local a Polícia Ambiental e alguns órgãos da administração municipal. Na Usina do Conhecimento, localizada na entrada do Parque, alunos e professores fizeram apresentações de teatro e de paródias. O evento teve também a participação dos membros do  Serviço de Combate à Dengue e do Foto Clube Arapongas (Focar). Parceria entre o Focar e a Escola Júlio Savieto está permitindo o trabalho de educação ambiental entre os alunos.

continua após publicidade

“As atividades devem se estender ao longo de todo o ano”, afirma a fotógrafa e advogada Sandra Gasparotti. O Parque dos Pássaros foi construído em 2000, durante a administração de José Bisca. Ele foi abandonado nos últimos anos. Luminárias e lixeiras estão destruídas, as pistas de caminhada e escadas estão deterioradas, há mato e lixo e a ação de vândalos também resultou em pichações e depredações. Vizinhos reclamam que o local tem servido para usuários de drogas.