Arapongas

Departamento Antidrogas une diversão e prevenção às drogas

Da Redação ·

“Eles pensam que sou bobo/Sou esperto demais/Me oferecem coisas estranhas/Não aceito jamais”. Os versos acima transcritos formam uma das estrofes de “Drogas Não”, uma paródia do sucesso “Amor de Chocolate”, do cantor carioca Naldo. Em Arapongas, a adaptação musical ganha vida na interpretação do fantoche Caio, personagem principal das encenações do Departamento Antidrogas (DAD), da Guarda Municipal (GM).

Em funcionamento desde 2010, a iniciativa de usar o teatro como forma de prevenção à problemas sociais já rende frutos e é produto de exportação regional. De 2012 pra cá, o trabalho, que visa transmitir lições de cidadania englobando demandas sociais de maneira divertida, já chegou a quase sete mil pessoas entre estudantes e pais de alunos do município.

“Trabalhamos com palestras em instituições que entram conosco e com apresentações teatrais nas escolas municipais”, explica Mônica Paucich, supervisora geral da GM e responsável pelo DAD e pela Patrulha Escolar da corporação.

A cada ano, os sete integrantes do Departamento escolhem um assunto em torno do qual gira a peça e a paródia criadas por eles mesmos. “Alguns professores pedem a letra da música para trabalhar nas disciplinas curriculares”. Em 2012, o tema foi violência nas escolas. Neste ano, os fantoches Caio, Bento, Ana, a diretora, o pai e a mãe, sem se esquecer do mascote Dadinho, dão um tom lúdico e informativo ao sério tema da prevenção às drogas. “Neste ano, já foram realizadas duzentas apresentações teatrais e 1800 palestras. Esperamos checar a 8.000 até o final do ano”, afirma.

Segundo Mônica, a ideia de criar o DAD surgiu da verificação de uma carência na sociedade. “Com o trabalho da Patrulha escolar, percebemos que havia um anseio muito grande por um trabalho preventivo”, informa. O trabalho já surte resultados. “É uma ação importante porque as crianças aprendem de uma forma diferente. Quando chegamos nas escolas, elas já vibram e querem saber qual vai ser a música”, conta. A iniciativa está sendo levada para outros municípios da região. “Neste ano, fomos convidados para demonstrar o projeto em Sarandi e Maringá e para apresentar a peça no SESI, de Apucarana”, finaliza.

continua após publicidade