Arapongas

Denarc desbarata bando de traficantes com ramificação em Arapongas

Da Redação ·

A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), Núcleo de Londrina, após nove meses de investigações, deflagrou nesta semana a Operação Viajantes, desarticulando grupo criminoso sediado em Londrina, com ramificação em Arapongas, e que mantinha contatos com traficantes anteriormente envolvidos com a revenda de drogas a Fernandinho Beira Mar.

Com objetivo de desarticular por completo uma quadrilha de traficantes que atuava nas cidades de Londrina, Arapongas, Rio Negro e Mafra (SC), foram cumpridos 17 mandados de prisões e outros cinco mandados de busca e apreensão, ação que foi coordenada pela Denarc de Londrina e que contou com a participação de policiais civis do Denarc de Ponta Grossa e da cidade de Mafra e de policiais militares de Rio Negro.

Entre os envolvidos foi preso Adriano de Souza Martins, líder do grupo e responsável por adquirir e negociar a compra de crack e cocaína em inúmeras regiões do Estado. Conforme apuração do Denarc, Adriano adquiria entorpecentes de Evaldo Rodrigues da Silva, pretenso integrante de organização criminosa gerida e coordenada por Mario Pulcheta, um dos principais traficantes do Paraguai e que recentemente foi preso por agentes da SENAD, e também envolvido com o anterior fornecimento de drogas a Fernandinho Beira-Mar e ao Comando Vermelho.

As investigações que incidiram sobre o grupo liderado por Adriano foram iniciadas após as prisões de Álvaro Bueno de Morais e Karina dos Santos Rocha, o que se deu em junho de 2012, ambos funcionários de Adriano e que foram surpreendidos por agentes do Denarc Londrina no momento que ocultavam aproximadamente 15 quilos de crack e cocaína e 20 quilos de maconha que haviam transportado da cidade de Guaíra até Londrina. Além da droga, o casal também foi encontrado com pistola calibre nove milímetros.

Mesmo com o prejuízo de aproximadamente meio milhão de reais proporcionado pelas prisões de Álvaro e Karina, dois meses depois Adriano voltou a adquirir 15 quilos de crack e cocaína, droga que também foi apreendida pela Denarc na cidade de Maringá enquanto era transportada para Londrina e que foi localizada dentro do tanque de combustível de um veículo dirigido por Leandro Agostinho dos Santos.

Aprofundando as investigações, a Denarc de Londrina identificou outro grupo criminoso ligado ao primeiro e estabelecido em Arapongas, apreendendo em setembro do ano passado outro carregamento drogas, desta vez cinco quilos de crack e um quilo de cocaína, realizando a prisão de Vando da Silva Toledo e mais três indivíduos, aquele apontado como um dos principais traficantes de drogas da região norte do Estado.

Em decorrência das diversas apreensões de drogas, o grupo coordenado por Adriano sofreu abalo financeiro, fator que compeliu seu fornecedor em Foz do Iguaçu a se dirigir à Londrina para recebimento de valores, sendo Evaldo Rodrigues da Silva preso pela Denarc em frente a um restaurante localizado na zona norte da cidade que pertence a Adriano e era utilizado para lavar o lucro adquirido com o tráfico de drogas. Evaldo era foragido de uma Penitenciária Estadual do Mato Grosso do Sul, onde cumpria pena por haver se envolvido com o transporte de uma tonelada de maconha.

Temendo as ações policiais, Adriano passou a residir na cidade de Rio Negro, município que também era abastecido de drogas pelo grupo criminoso investigado, porém não deixou de realizar o tráfico em Londrina, mantendo constantes relações com criminosos locais. Um dia antes de sua prisão, ele esteve em Londrina para gerenciar pessoalmente as ações do grupo. Adriano foi preso em Rio Negro na companhia de familiares, sendo também detida sua esposa Viviane Aparecida de Souza que o auxiliava com as transações financeiras de natureza ilícita.

continua após publicidade