Arapongas

Arapongas completa 65 anos como 1º polo de móveis do País

Da Redação ·
Arapongas completa 65 anos como 1º polo de móveis do País
fonte: Divulgação
Arapongas completa 65 anos como 1º polo de móveis do País

Nascida por iniciativa da Companhia de Terras Norte do Paraná, pioneira no povoamento da região, Arapongas completa hoje 65 anos comemorando o fato de assumir o primeiro lugar como o maior polo de móveis do País. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas (Sima), Nelson Poliseli, o segmento, que já ocupava o primeiro no ranking como maior consumidor de chapas aglomeradas (painéis) do Brasil, já supera Bento Gonçalves (RS) como maior município produtor do Brasil. Com uma movimentação anual de mais de R$ 1 bilhão, a cidade gera em torno de 11 mil empregos diretos e 3 mil indiretos.

Cada vez mais forte, a indústria moveleira participa com 67,31% do Produto Interno (PIB) do município e é responsável por quase 70% da riqueza produzida na cidade.

Mesmo com uma projeção modesta de crescimento, estimada em torno de 5% neste ano, as cerca de 160 empresas que atuam nos setores de móveis, serraria e marcenaria têm se mantido firmes diante das crises internacionais.

De acordo com Poliseli, o desempenho do polo se deve em grande parte ao empreendedorismo dos empresários, que têm investido constantemente em modernização e especialização do segmento. “Isso tem permitido ao setor enfrentar crises com estabilidade e segurança, refletindo em poucas demissões em períodos de desaceleração da economia”, ressalta.

De acordo com ele, além de atender o mercado interno, que representa pouco mais de 90% das vendas, o setor responde por quase 50% do total registrado na pauta de exportação do município. Os principais compradores da produção local nos mercados internacionais são África, América Central e, especialmente, o bloco econômico do Mercosul. “O setor moveleiro de Arapongas tem mais de 50 anos e continua consolidado. A construção da Expoara para eventos e feiras, como a Movelpar, foi importante para tornar o parque industrial conhecido no Brasil inteiro”, diz Poliseli.


AGROINDÚSTRIA
Além do setor moveleiro, a indústria de alimentos também tem um forte peso no desenvolvimento de Arapongas, sendo a segunda com maior força econômica. Neste segmento, a agroindústria conseguiu aliar o passado com o futuro, garantindo a participação do campo no crescimento da cidade. Os principais setores desta área estão frigorífico de aves, fábricas de ração para animais e de alimentos para o consumo humano.

Toda a força econômica de Arapongas também pode ser avaliada na participação da receita do Estado, através do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços (ICMS). Segundo dados da Secretaria de Estado da Fazenda do Paraná, a cidade é a 13ª em arrecadação do tributo.

Com um polo industrial forte, Arapongas também tem registrado um rápido crescimento populacional nos últimos anos. Segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, o município já atingiu mais de 105 mil habitantes.

continua após publicidade

Leia mais na edição de quarta-feira (10) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná