Apucarana

Variante pode ter causado explosão de casos em Apucarana

“Nós vínhamos observando que a cada dia estava sendo registrado uma média de 150 a 160 novos casos positivados para Covid-19 em Apucarana”, comentou

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Variante pode ter causado explosão de casos em Apucarana
Variante pode ter causado explosão de casos em Apucarana

O prefeito de Apucarana,  Junior da Femac, disse na noite desta quarta-feira (2), que a variante indiana (B.1.617), detectada no município, pode estar relacionada ao crescimento significativo da taxa de contaminação. 

continua após publicidade

“Nós vínhamos observando que a cada dia estava sendo registrado uma média de 150 a 160 novos casos positivados para Covid-19 em Apucarana”, comentou, lembrando que dez dias atrás a média era de 70 casos/dia.

Diante deste quadro, o prefeito explica que foram adotadas diversas medidas, incluindo restrição de circulação, maior rigor na fiscalização com a Polícia Militar e a Guarda Municipal, reforços nos estoques de oxigênio e abertura de mais leitos clínicos no Hospital da Providência. “Também reforçamos o monitoramento de pessoas positivadas – que hoje são 2.338, das quais 140 estão recebendo oxigênio em casa -, e o trabalho de conscientização e alerta à população, visando à prevenção”, revelou.

continua após publicidade

A partir de agora, conforme frisou Junior da Femac, em relação à nova cepa detectada, o Município irá seguir as normativas colocadas pela Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) registrou nesta quarta-feira (2) o primeiro caso da cepa B.1.617 no Paraná, popularmente conhecida como variante indiana. A identificação foi realizada por sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com amostra de um caso confirmado do Paraná.

Uma mulher de 71 anos, residente no município de Apucarana, com comorbidades, apresentou os sintomas da doença no dia 19 de abril, após contato com casos confirmados e realizou coleta de exame RT-PCR para diagnóstico da Covid-19 no dia 26 de abril. Ela ficou hospitalizada neste período, mas teve alta logo em seguida.

continua após publicidade

A paciente morava com o marido de 74 anos e o filho de 58 e os três foram diagnosticados com Covid-19. O filho faleceu no dia 17 de maio. 

O chefe da 16ª Regional de Saúde, Altimar Carletto, informou na noite desta quarta-feira (2), que o homem de 58 anos que contraiu a variante indiana da Covid-19 e morreu no dia 17 de maio, era representante comercial. "Ele  estaria em isolamento domiciliar em função dos problemas de saúde. Tinha comorbidades, já foi submetido a angioplastia coronária por conta de problemas no coração”, repassou Carletto. 

A mãe dele de 71 anos e o pai de 74, também foram diagnosticados com coronavírus e se recuperaram da doença. Até o momento não há muitas informações de como a família foi contaminada com a mutação do vírus. 

A saúde de Apucarana confirmou que o casal de idosos tinha tomada a vacina contra Covid-19.