"Uma hora ou outra vai acontecer", diz chefe da 16ª RS sobre nova variante - TNOnline
Mais lidas

    Apucarana

    Coronavírus

    "Uma hora ou outra vai acontecer", diz chefe da 16ª RS sobre nova variante

    "Uma hora ou outra vai acontecer", diz chefe da 16ª RS sobre nova variante
    Foto por Arquivo TN
    Escrito por Fernanda Neme
    Publicado em 08.02.2021, 09:10:33 Editado em 08.02.2021, 09:46:47
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Uma nova variante do coronavírus foi detectada no país há algumas semanas no Brasil. Cientistas de 10 instituições, entre elas o Imperial College London e a Universidade de Oxford, ambas na Inglaterra, e o Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo, publicaram um artigo descrevendo casos dessa nova variante, que recebeu o nome de P.1. 

    Em Apucarana, conforme o chefe da 16ª Regional de Saúde de Apucarana, o médico Altimar Carletto, ainda não há nenhum caso em investigação. Porém, ele diz que é possível que esse vírus mutante esteja circulando. "Por enquanto, não temos relatado sabidamente nenhum caso, mas riscos existem, claro. É possível que essa nova variante esteja circulando, mas não foi detectada ainda na nossa regional", explica. 

    Sobre a possibilidade do vírus chegar em Apucarana e região, o médico diz que é igual a todo lugar devido à movimentação de pessoas de uma cidade para outra. "Sempre existiu esse risco de trazer o vírus mutante para a nossa região. Sem dúvida, uma hora ou outra, isso vai acontecer, se já não aconteceu", complementa. 

    O estudo sobre a nova variante, de acordo com Carletto, é realizado no Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen). "Todas amostras são encaminhadas para lá e são investigadas. Na medida que se observa variação, isso cria um sinal de alerta, e passa a existir uma investigação mais aprofundada e um mapeamento do RNA do vírus para saber se é ou não uma variante", acrescenta. 

    Sobre a nova variante 

    Conforme o médico, existem algumas mutações, especialmente a de Manaus e do Reino Unido, e a partir daí, o vírus mutante, ou seja, que já mudou, se espalha pelo mundo. "Com certeza o vírus já circula por aqui, já que curitibanos que estiveram de Manaus, trouxeram essa nova mutação viral", explica Carletto. 

    O que se sabe sobre essa nova variante, de acordo com o chefe da 16ª RS, é que é um vírus mais contagioso, uma expectativa de 70% mais que o vírus tradicional, e infelizmente uma virulência maior, ou seja, com sintomas mais agressivos e até mesmo que esse vírus seja mais letal que o primeiro que surgiu. Não é um percentual muito grande, mas é um aumento significativo", explica.

    Porém, conforme o médico, as pessoas imunizadas com a vacina contra a Covid-19, podem não ser infectadas por essa nova variante, ou se contaminadas, não terão sintoma graves.

    Cidades próximas 

    A Saúde de Rolândia investiga um caso da nova variante do coronavírus que surgiu na cidade e está monitorando. Além disso, Maringá está investigando 26 casos suspeitos de pacientes com a variante do novo coronavírus, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Os casos foram divulgados nesta sexta-feira (5) e vão passar por reavaliação.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Apucarana

    Deixe seu comentário sobre: ""Uma hora ou outra vai acontecer", diz chefe da 16ª RS sobre nova variante"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.