Apucarana

Repasses do “Terra Forte” ultrapassam nove toneladas

Júnior da Femac lembra que o auxílio municipal teve início em 2014, na gestão do então prefeito Beto Preto

Da Redação · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Repasses do “Terra Forte” ultrapassam nove toneladas
fonte: as

Somente nos cinco primeiros meses do ano, produtores rurais do segmento de fruticultura do Programa Municipal Terra Forte repassaram mais de nove toneladas de alimentos à Secretaria da Agricultura da Prefeitura de Apucarana. Prevista nas regras da política pública, a contrapartida é o “pagamento” pelo apoio municipal que, além de distribuição de mudas frutíferas selecionadas de diversas variedades, também disponibiliza aos interessados insumos agrícolas, como fósforo e calcário, para fertilização e correção do solo. “Os produtos que recebemos como “pagamento” pelo incentivo municipal enriquecem a alimentação escolar em nossos centros infantis e escolas municipais, além de atenderem à necessidade de entidades sociais do município, sobretudo as que atuam com abrigamento”, enaltece o prefeito Júnior da Femac, que recebeu um relatório das atividades das mãos do secretário Municipal da Agricultura, Gerson Canuto.

continua após publicidade

Júnior da Femac lembra que o auxílio municipal teve início em 2014, na gestão do então prefeito Beto Preto. “O programa foi avançando, partindo também para o estímulo da cafeicultura, e agora estamos trabalhando, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), na reativação da pecuária leiteira. Apucarana sempre teve uma bacia leiteira importante e queremos que o nosso leite, queijo e outros derivados ganhem novamente destaque”, afirma o prefeito, frisando que além de “pagar” o município com produtos rurais, muitos dos 215 produtores cadastrados no segmento fruticultura do Programa Municipal Terra Forte hoje já vendem o excedente para o CEASA, mercados e feiras diversas.

O secretário Gerson Canuto frisa que ao longo do ano passado, o programa recebeu e repassou à rede municipal de ensino e entidades sociais mais de 25 toneladas de alimentos rurais. Além disto, foram distribuídas aos produtores mil mudas de limão Taiti e mil mudas de tangerina montenegrina. “Neste ano, já recebemos nove toneladas de produtos advindos das propriedades agrofamiliares cadastradas na iniciativa e, até o final do ano, há previsão e planejamento para a distribuição de mais 2,1 mil mudas de abacate e 500 toneladas de calcário”, informa Canuto.

continua após publicidade

Segundo ele, como as demais atividades e setores econômicos em todo o país, o “Terra Forte” vive também um momento de retomada pós-pandemia. “Com o advento da Covid-19 e as baixas temperaturas no ano passado, nossos produtores estão sendo mais que heróis”, ilustrou o secretário.

Futuro – Além de um incentivo maior à pecuária leiteira, Canuto frisa que em recente reunião com dirigentes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), o prefeito Júnior da Femac também discutiu a criação de outro segmento junto ao Programa Terra Forte, voltado à produção de produtos orgânicos. “Isto se daria inicialmente com a continuidade de apoio às cooperativas locais e a estruturação, com recursos municipais, de uma agroindústria que agregaria ainda maior valor à produção mediante beneficiamento dos alimentos oriundos do Programa Terra Forte, em forma de sucos, doces e compotas”, finaliza Canuto.