Apucarana

Região: 26% dos contribuintes ainda não enviaram declaração

Mais de 13,5 mil contribuintes ainda não entregaram a declaração do IRPF 2022 nos cinco maiores municípios da região; prazo termina dia 31

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Região: 26% dos contribuintes ainda não enviaram declaração
fonte: (Divulgação/ Agência Brasil)

A menos de uma semana para o fim do prazo, mais de 13,5 mil contribuintes ainda não entregaram a declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022, ano-base 2021, nos cinco maiores municípios da região: Apucarana, Arapongas, Ivaiporã, Jandaia do Sul e Faxinal. O prazo final para enviar o documento sem multa termina em 31 de maio.

continua após publicidade

O número de contribuintes que ainda não prestaram contas com o “Leão” representa 26,2% do total de 51.851 pessoas que precisam entregar a declaração nessas cinco cidades. Ao todo, 38.260 pessoas já fizeram a declaração.

O maior índice de "retardatários" está em Apucarana. Das 21.215 declarações esperadas, 5.866 não foram entregues até o início da tarde desta quarta-feira (25), o que representa 27,6% do total. Os dados são da Delegacia Regional da Receita Federal de Londrina.

continua após publicidade

Em Arapongas, são 19.999 declarações no total em 2022, sendo que 4.916 ainda não foram entregues (24,6%). Em Ivaiporã, o índice de contribuintes ainda em dívida com o “Leão’ é 26,3%: 1.259 dos 4.786 contribuintes não enviaram a documentação.

Em Jandaia do Sul, 1.100 declarações ainda precisam ser feitas de um total de 4.041 (27,2%) e, em Faxinal, o índice de documentos não enviados é de 24,8%: 450 de 1.810.

A Receita Federal vem emitindo alertas para que os contribuintes não deixem para o fim do prazo. No entanto, esta última semana será de muito trabalho para os escritórios de contabilidade.

continua após publicidade

Delegado do Conselho Regional de Contabilidade (CRC-PR) em Arapongas e presidente da Associação dos Contabilistas e Empresas Contábeis de Arapongas (Aceca), Osvaldo Damião afirma que a média de 25% de contribuintes “retardatários” ocorre também no escritório dele. No entanto, ele afirma que o atraso de muitas pessoas não está relacionado apenas ao tradicional comportamento de “deixar para a última hora”.

“Neste ano, muitas empresas demoraram a entregar o informe de rendimentos dos funcionários. Essa sistemática de emissão está atrelada à Receita Federal, que apresentou problemas em seus sistemas. O próprio programa (de declaração do IRPF) foi lançado com demora e veio com inúmeras inconsistências. São vários fatores que explicam esse atraso de muitos contribuintes”, diz.

Damião afirma que o escritório dele precisou ampliar o expediente, o que deve ocorrer até 31 de maio. “Em alguns dias, estamos trabalhando até as 9 ou 10 da noite”, afirma, acrescentando que muitas declarações serão enviadas com falta de documentos e depois retificadas. “Isso acaba acontecendo todos os anos”, completa.

continua após publicidade

MULTA

O valor da multa é de 1% ao mês sobre o valor do imposto de renda devido, limitado a 20% do valor do imposto de renda. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74.

A punição é gerada no momento da entrega da declaração e a notificação de lançamento fica junto com o recibo de entrega. O contribuinte terá 30 dias para pagar. Após este prazo, começam a correr juros de mora (taxa Selic).

No caso de declarações com direito à restituição, se a multa não for paga dentro do vencimento, ela será descontada, com os respectivos juros, do valor do imposto a ser restituído.

Por Fernando Klein 

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News