Apucarana

Prefeitura pede rigor na investigação de vandalismo

A prefeitura está avaliando os estragos e, se necessário, irá trocar todas peças do parquinho infantil

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Prefeitura pede rigor na investigação de vandalismo
Prefeitura pede rigor na investigação de vandalismo

A Guarda Civil Municipal de Apucarana e a Superintendência de Trânsito e Segurança da Prefeitura estão trabalhando para tentar identificar as pessoas que colocaram fogo no parquinho infantil, instalado junto à UBS Leopoldo Hartwig Júnior, na região do jardim Tibagi, em frente ao Colégio Agrícola Estadual Manoel Ribas.

continua após publicidade

Imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos nas proximidades estão sendo requisitadas para ajudar na identificação. O equipamento de lazer das crianças do bairro é de madeira plástica e havia sido adquirido pelo município por ser mais seguro para as crianças. Cada unidade tem um custo de R$ 16,6 mil. “Nós exigimos rigor na apuração. Não para admitir conduta como essa, destruindo os brinquedos utilizados pelas crianças do bairro”, lamentou o prefeito Junior da Femac.

Moradores da região que frequentam a praça, que dispõe de outros equipamentos públicos, como academia ao ar livre e cancha de malha, estão indignados com o ocorrido. O fogo começou um pouco antes da 1h da manhã desta sexta-feira. O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu impedir que todo o brinquedo fosse queimado.

continua após publicidade

A prefeitura está avaliando os estragos e, se necessário, irá trocar todas peças do parquinho infantil. O gramado ao redor também foi queimado e precisará ser substituído.

O superintendente de Trânsito e Segurança da Prefeitura, major Vilson Laurentino da Silva, informa que as providências já foram adotadas, com o registro de boletim de ocorrência na 17ª Subdivisão Policial e início das investigações. “Estamos investigando esse ato criminoso e, com certeza, iremos identificar os responsáveis”, comentou o major.

Benjamin Coutinho, morador da região há mais de 30 anos, manifestou sua indignação pelo vandalismo. “Não dá para aceitar uma coisa dessas. O parquinho das crianças foi destruído. É um absurdo isso e não dá para entender o porquê disso”, comentou Coutinho.