Apucarana

Polícia ouve homem acusado pela morte de Everton Machado

O crime aconteceu durante uma festa, no dia 26 de fevereiro. Everton morreu com vários golpes de faca nas costas

Da Redação ·
Everton Henrique Machado, de 34 anos, chegou a ser socorrido pelo Samu mas não resistiu aos ferimentos a faca
fonte: Reprodução Arquivo pessoal
Everton Henrique Machado, de 34 anos, chegou a ser socorrido pelo Samu mas não resistiu aos ferimentos a faca

O autor das facadas que resultaram na morte do apucaranense Everton Henrique Machado, de 34 anos, se apresentou nesta quarta-feira (02) na 17ª Subdivisão Policial. O homem, de 32 anos, que já havia sido identificado pela polícia logo nas primeiras diligências sobre o caso, ocorrido no dia 26 de fevereiro, se apresentou acompanhado de um advogado, confessou o crime, se diz arrependido e alega que teria agido por impulso.

continua após publicidade

O delegado Marcus Felipe Rodrigues da Rocha explicou que a Polícia Civil já havia representado pela prisão preventiva dele, o que ainda está sendo avaliado pelo Judiciário. “Ele se apresentou, fizemos a oitiva dele. Ele confessou o crime e disse inclusive que, caso saia o mandado de prisão, ele se apresentará na delegacia”, informou o delegado-chefe da 17ª SDP.

O depoimento prestado pelo autor das facadas, conforme o delegado, está muito próximo do que teria sido relatado à polícia por uma série de pessoas já ouvidas no inquérito policial, instaurado para apurar o homicídio qualificado, que ocorreu durante uma festa, no Conjunto Michel Soni, em 26 de fevereiro.

continua após publicidade

“A Polícia Civil tomou conhecimento do caso no mesmo dia, em 26 de fevereiro. Foi ao local e lá já possível coletar uma série de informações sobre a autoria. No mesmo dia, pessoas vieram a delegacia, foram ouvidas como testemunhas e isso já havia permitido identificar o autor”, explica o delegado.

O delegado explica que o autor das facadas teria esclarecido as circunstâncias da ocorrência, apresentando sua versão dos fatos. Porém, o caso continua tratado como homicídio qualificado, por motivo fútil e, pela forma como se deu, não foi dada a mínima chance de defesa para a vítima, atingida pelas costas.

O autor das facadas teria relatado à Polícia que agiu por impulso. Ele estava na churrasqueira, se armou da faca e desferiu os golpes que mataram Everton Machado. Conforme o relato, Everton e a namorada estariam numa discussão. A namorada do autor teria tentado intervir para auxiliar a outra jovem, no momento em que Everton segurava a namorada dele pela mão, tentando leva-la dali. Nesse momento, a jovem que estava com o autor das facadas, teria segurado Everton pelo braço, quando ele reagiu, desvencilhou-se dela com um empurrão e teria iniciado a discussão. Nesse momento, sem pensar, o autor teria reagido desferindo as facadas contra Everton.

continua após publicidade

“O autor disse que ficou irritado, disse que teria desconfiado que a vítima pudesse estar armada e desferiu os golpes. Parece uma situação de impulso. Mas o crime é grave e a motivação é fútil. A forma como ele praticou os golpes, pelas costas, também qualifica o crime porque ele não deu qualquer chance de defesa à vítima”, explicou o delegado.