Apucarana

Polícia investiga morte de jovem espancado em Apucarana

A investigação constatou sangue da vítima no local e testemunhas do crime foram ouvidas.

Da Redação ·

Policiais Civis da 17ª Subdivisão Policial de Apucarana e agentes do Setor de Criminalística estiveram na tarde desta quarta-feira (29) na Rua Carlos de Carvalho, no Jardim Ponta Grossa, em Apucarana, onde Maicon Douglas Ramos Ananias, de 25 anos foi espancado na noite de sábado (25). O jovem morreu na madrugada desta quarta-feira, no Hospital da Providência,  por conta da gravidade dos ferimentos. Agora, a polícia procura o responsável pelo homicídio.

continua após publicidade

De acordo com o investigador Roberto Francisco, do setor de homicídios da PC, a investigação constatou sangue da vítima no local e testemunhas do crime foram ouvidas. 

"Por determinação do delegado-chefe da 17ªSDP foi oficiado a criminalística para estar no local onde foi constatado sangue em frente a uma facção e no corredor de uma residência onde os moradores estão ausentes. Populares que socorreram a vítima repassaram as características do agressor, que seria um homem alto, magro, de pele clara e olhos claros. Ele também tinha escoriações no rosto do lado direito e segundo as testemunhas, estava muito alterado e agredia a vítima com muitos chutes na cabeça", disse o investigador.

continua após publicidade

Quem tiver qualquer informação a respeito do autor do homicídio, pode entrar em contato com a polícia através do 190 e realizar denúncia de forma anônima. A polícia segue com as investigações do crime.  

O crime

Equipes da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), de Apucarana, foram acionadas após um homem ficar gravemente ferido ao ser golpeado na perna com uma faca e levar diversos chutes na cabeça durante briga no Jardim Ponta Grossa, neste sábado (25).

continua após publicidade

Conforme o boletim, o homem já estava entrando em choque por conta da quantidade de sangue que perdeu devido à facada. 

No local, a PM foi informada viram um outro homem chutando a cabeça da vítima e gritando que iria matá-la. A polícia acredita que as agressões podem ter começado no interior do quintal, pois o corredor que dá acesso às casas do fundo tinham marcas de sangue. 

A PM tentou localizar o autor das agressões, mas ele não foi encontrado. A equipe recebeu informação do Hospital da providência que o homem tinha entrado com pouca consciência e logo ficou inconsciente, além de apresentar na perna, lesões na face, pupila dilatada, dando indício de um traumatismo craniano.

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital da Providência, na madrugada desta quarta-feira (29).