Apucarana

Pastor, irmão de Paulo Cupertino, vive em Apucarana

José Matias Cupertino pretende visitar o irmão, Paulo Cupertino, na prisão no próximo mês, levando mensagem de arrependimento.

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
O pastor evangélico morador de Apucarana, José Matias Cupertino.
fonte: Reprodução / Redes sociais
O pastor evangélico morador de Apucarana, José Matias Cupertino.

O pastor evangélico morador de Apucarana, no norte do Paraná, José Matias Cupertino, viu sua vida mudar de uma hora para outra, quando seu irmão, Paulo Cupertino, ganhou as manchetes dos jornais em todo o Brasil pelo assassinato do ator Rafael Miguel e dos pais dele. Recém chegado ao Norte do Paraná na época, ele passou a ser seguido e vigiado, 24 horas por dia.

continua após publicidade

Vindo de Piracicaba, no interior de São Paulo, há três anos, o pastor fundou em Apucarana a Igreja Assembleia de Deus, Ministério Madureira,  que funciona na Rua Rafael Sorpile. Ele também é responsável por um trabalho de triagem para recuperação de dependentes químicos na cidade e na região. Apesar de não ter contato com o irmão, que foi preso pela polícia de São Paulo no último dia 16 de maio, ele conta que foi vigiado durante o tempo em que Paulo esteve foragido.

"Durante todo o tempo em que o Paulo ficou foragido, eu fui vigiado e seguido por policiais disfarçados aqui em Apucarana. Nunca fui abordado, mas eram sempre pessoas e carros diferentes me vigiando. Eles desconfiavam que eu poderia estar escondendo o Paulo ou tendo algum contato, porque ele chegou a fazer um RG falso em Jataizinho, então, eu era o irmão mais próximo dessa cidade", contou o pastor.

continua após publicidade

"Para mim e para minha família foi muito difícil, constrangedor. Eu não tenho contato com o Paulo há muito tempo, já tem pelo menos 10 anos que não o vejo e nunca tive contato algum com ele durante o tempo em que ele esteve fugindo da polícia", afirmou.

O irmão de Cupertino diz que foi tomado por uma tristeza muito grande quando soube do crime cometido por Paulo. 

"Quando eu tomei conhecimento da situação foi muito triste, muito difícil, por ser meu irmão. Minha mãe me chamou lá em São Paulo cerca de dois meses depois do ocorrido para ver se eu poderia fazer alguma coisa para ajudar a família dele, afinal ele tem 4 filhos. Eu cheguei a visitar a mãe da Isabela (que foi namorada de Rafael Miguel) e do Mateus, ex-mulher do meu irmão. A atual mulher dele eu não encontrei. Mas fui lá no barracão dele, ver o que eu poderia fazer para ajudar a família, mas na época, não pude fazer nada porque ele estava foragido", lembra.

continua após publicidade

Agora, o pastor, que vive em Apucarana, pretende encontrar o irmão no próximo mês.

"Devo ir para São Paulo em junho e pretendo visitá-lo na cadeia. Quero levar para ele uma mensagem de arrependimento. O que ele fez está feito, não dá para mudar, mas quero que ele se arrependa, que mude de vida, que poder aconselhar ele. E se tiver algo que eu possa fazer pela família dele que ficou também, vou me colocar a disposição", finalizou.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News