Apucarana

Mulher que morreu atropelada em Apucarana é identificada; saiba mais

Ela era vendedora e estava indo para o trabalho quando o acidente aconteceu; assista a entrevista

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

A mulher, de 59 anos, que morreu após ser atropelada na manhã desta segunda-feira, 04, na Rua Piratininga, próximo a subestação da Copel, no Jardim Ponta Grossa, em Apucarana já foi identificada. Sonia de Lourdes Torre Garcia Zaneratto era vendedora e estava indo para o trabalho quando o acidente aconteceu. 

continua após publicidade

De acordo com testemunhas, ela foi atingida por um Fiat Uno que passava pelo local enquanto caminhava na rua. A motorista do carro parou para chamar o socorro. O autônomo Bruno Henrique Teixeira, que passava no local do acidente, viu como tudo aconteceu.

"Eu estava descendo para trabalhar e vi a senhora, subindo a pé, pela rua. A moça do Uno veio em uma baixa velocidade até, devia estar a uns 40 Km por hora, não sei se a luz do sol encobriu e atrapalhou a visão, e ela acabou atropelando a senhora. Mas eu acho que a moça não teve culpa, porque a senhora não estava na calçada, ela estava andando na rua. Logo depois da pancada ela já caiu inconsciente, sangrando pelo ouvido. Nós tentamos chamar o Samu, mas não conseguimos, acionamos a polícia e eles conseguiram chamar o socorro, mas demoraram uns 25 minutos para chegar", declarou a testemunha.

continua após publicidade

Socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) tentaram reanimar a vítima que ficou desacordada, devido a forte pancada na cabeça, mas ela não resistiu e morreu dentro da ambulância. Familiares da vendedora foram até o local e ficaram abalados com a fatalidade. 

Ainda segundo testemunhas, a motorista, responsável pelo atropelamento, estava bastante nervosa e chorava muito no local. Ela contou para a PM, que foi tudo muito rápido, que quando viu a mulher no meio da rua, ficou assustada, se atrapalhou com os pedais. Assista a entrevista:     null - Vídeo por: Reprodução

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado. 

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News