Apucarana

IBGE inicia pesquisa de campo preliminar ao censo em Apucarana

Supervisores censitários estão desde segunda-feira nas ruas para coletar dados do entorno dos domicílios antes de iniciar as entrevistas

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Supervisores censitários fazem anotações da infraestrutura urbana
fonte: Divulgação/IBGE
Supervisores censitários fazem anotações da infraestrutura urbana

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciou nesta segunda-feira (20) a coleta da Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios. Na área de Apucarana, que compreende 12 municípios, o trabalho mobiliza 25 supervisores censitários. A pesquisa marca o início da operação do Censo 2022, embora não envolva ainda nenhuma entrevista. Os dados, nessa primeira etapa, serão colhidos apenas por meio de observação.

continua após publicidade

O coordenador de área do IBGE em Apucarana, Rafael de Castro Francisquini, explica que o “Entorno dos Domicílios” trata apenas da infraestrutura urbana. “Os supervisores censitários vão percorrer todas as ruas de cada setor censitário sob sua responsabilidade e preencher questionários com dados relacionados à arborização, pavimentação asfáltica, rampas para cadeirantes, sinalização para bicicletas, entre outros itens”, explica, observando que essa fase deve ser concluída até 12 de julho.

Francisquini afirma ainda que o trabalho do censo propriamente dito, “de porta em porta”, vai iniciar apenas na primeira semana de agosto. “Vamos ainda oficializar a contratação de cerca de 170 recenseadores na região. Desse total, 120 vão atuar em Apucarana e 50 nos demais municípios pertencentes à nossa área de atuação”, explica. Além de Apucarana, o IBGE local é responsável pela pesquisa em Califórnia, Marilândia do Sul, Mauá da Serra, Rio Bom, Novo Itacolomi, Cambira, Jandaia, Bom Sucesso, Marumbi, Kaloré e São Pedro do Ivaí.

continua após publicidade

Segundo ele, a região foi dividida em setores censitários. Isso porque o último censo foi realizado em 2010 e as informações estão desatualizadas até mesmo para servir como base de dados. “Depois de 12 anos, o IBGE volta a realizar um censo nacional, que vai trazer novas informações e mostrar a realidade dos municípios”, pontua.

O coordenador explica que o censo será realizado dentro de três meses. Todos os domicílios serão visitados pelos recenseadores, que não terão uma carga horária de trabalho delimitada. Eles precisarão cumprir os setores designados e, para isso, poderão fazer visitas em horários alternativos e também aos finais de semana. “Todos estarão devidamente identificados com crachás e uniforme”, assinala.

INFORMAÇÕES  

continua após publicidade

De acordo com o IBGE, os dados levantados na Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios poderão subsidiar a formulação de políticas públicas em áreas urbanas, visando a melhoria da qualidade de vida da população. Além disso, as informações poderão oferecer um quadro atual de questões urbanísticas e ambientais das cidades, permitindo comparações.

O entorno dos domicílios foi pesquisado pela primeira vez no Censo de 2010. Na ocasião, também foi feito um Levantamento de Informações Territoriais (LIT), destinado a reunir dados de áreas de precariedade urbana. Desde então, novas informações foram sendo levantadas de forma amostral junto à Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), realizada periodicamente pelo IBGE.

O Brasil costuma realizar seu censo demográfico de 10 em 10 anos. Ele é a única pesquisa domiciliar que vai a todos os 5.570 municípios do país. O objetivo é oferecer um retrato da população brasileira e das condições domiciliares. As informações obtidas subsidiam a elaboração de políticas públicas e decisões dos governos relacionadas com a alocação de recursos financeiros. A nova edição, que deveria ter ocorrido em 2020, foi adiada duas vezes: primeiro por conta da pandemia de covid-19 e depois por dificuldades orçamentárias. 

Por Fernando Klein, com informações da Agência Brasil 

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News