Apucarana

Fórum Eleitoral lota no último dia para regularização

Prazo para tirar título ou regularizar situação visando as eleições de outubro termina nesta quarta-feira

Da Redação ·

O Fórum Eleitoral Desembargador Miguel Thomaz Pessoa, de Apucarana, ficou lotado nesta quarta-feira (4) no último dia de prazo para tirar o primeiro título ou regularizar a situação eleitoral. A partir desta quinta-feira (5), o cadastro será fechado e não serão mais permitidas mais alterações. Assim, os eleitores com pendências não poderão votar em outubro. 

continua após publicidade

A chefe do Cartório Eleitoral de Apucarana, Andréa Silva Milanin, afirma que o movimento foi grande desde segunda-feira (2), quando o Fórum Eleitoral - que atende também Cambira e Novo Itacolomi, que fazem parte da Comarca de Apucarana - passou a atender em dois turnos, funcionando das 9 às 18 horas. O horário normal é das 12 horas às 18 horas. O hábito de deixar para a última hora se repetiu novamente nas eleições de 2022.

“Entre segunda e terça-feira, nós atendemos cerca de 450 pessoas. Nesta quarta-feira, devemos fechar o dia com pelo menos 600 atendimentos. Na semana passada, a gente estava atendendo, no máximo, 50 pessoas por dia”, explica. Segundo ela, a maioria dos atendimentos foi de pessoas interessadas em regularizar a situação eleitoral porque não votaram nas últimas duas ou três eleições, além de jovens de 16 anos que foram tirar o documento pela primeira vez.

continua após publicidade

Andrea explica que muitas pessoas foram até o local porque não votaram na eleição passada, o que neste ano não era necessário, porque o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prorrogou a suspensão, por prazo indeterminado, das consequências previstas no art. 7º do Código Eleitoral para os eleitores que deixaram de votar nas Eleições 2020 e não apresentaram justificativas ou não pagaram a respectiva multa. Com a decisão, o eleitor que não compareceu às urnas na votação passada poderá votar normalmente nas eleições deste ano.  

Morador de Cambira, César Ricardo Rosini, de 46 anos, não votou nas últimas eleições e foi conferir sua situação. “Quero votar neste ano, porque será uma eleição importante, e vim checar se estou apto”, assinalou.

A estudante Raíssa Zanella, de 16 anos, foi tirar o primeiro título eleitoral. Ela mora no Núcleo Afonso Alves Camargo e está no primeiro ano do Ensino Médio no Colégio Cívico-Militar Tadashi Enomoto. “Sempre quis votar e agora finalmente chegou a minha vez”, diz. A estudante afirma que os alunos conversam na escola, sim, sobre as eleições. “Sempre alguém pergunta em quem vai votar e a gente troca ideias”, comenta.

continua após publicidade

Gabriel Henrique Vieira, de 16 anos, também foi tirar o primeiro título. Ele mora no Loteamento Residencial Orlando Bacarin  e também considera importante votar. O jovem admite que não tinha informação sobre o prazo de regularização, por isso, acabou vindo na última hora. “Mas quero votar e fiz questão de fazer o título”, assinalou o jovem, que estuda no Colégio Estadual Heitor Cavalcanti de Alencar Furtado;

O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno  para a disputa presidencial e os governos estaduais será em 30 de outubro.

INTERNET

continua após publicidade

Por meio do site oficial TítuloNet, é possível verificar pendências no título de eleitor, requerer a primeira via do documento, fazer a transferência de município de votação e alterar dados pessoais. 

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), todos os cidadãos que fizerem as solicitações até às 23h59 desta quarta-feira serão atendidos. O tribunal esclarece que é preciso aguardar a análise dos pedidos, que deverão ser respondidos em até 30 dias. O andamento das solicitações também pode ser acompanhado pela internet. 

continua após publicidade

O sistema de regularização registrou recorde de acessos nos últimos dias, quando foram contabilizados cerca de 1 milhão de acessos.  VEJA:    null - Vídeo por: Reprodução   Por Fernando Klein e Agência Brasil