Apucarana

#ExposedApucarana: Professor de Física divulga nota de repúdio

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia #ExposedApucarana: Professor de Física divulga nota de repúdio
#ExposedApucarana: Professor de Física divulga nota de repúdio

Um professor da disciplina de Física de Apucarana divulgou na manhã desta sexta-feira (29) uma nota repudiando insinuações e acusações que possam ser remetidas contra ele, feitas através do movimento #ExposedApucarana. João Baptista Domingos Júnior, conhecido como Professor Pig, afirma ainda que está contestando judicialmente a situação.

continua após publicidade

O professor, que afirma através da nota lecionar há 20 anos em instituições de ensino particulares da cidade, rechaçou "qualquer ato e comportamento comprovados ao assunto tratado".

Abaixo, a Nota de Repúdio na íntegra:

continua após publicidade

Meu nome é João Baptista Domingos Junior ("professor Pig") e sou professor há 20 anos na rede particular de ensino de Apucarana.

Sendo um dos poucos professores de Física da cidade de Apucarana e considerando as recentes acusações e difamações direcionadas a "professor de física" feitas em postagens nas redes sociais, manifesto meu repúdio às insinuações ou acusação que possam atingir a minha pessoa.

Pela gravidade e seriedade do assunto estou contestando judicialmente essa situação.

continua após publicidade

Informo, ainda, que, assim como todas as pessoas de bem, rechaço todo e qualquer ato e comportamento comprovados ao assunto tratado.

#ExposedApucarana

Inspirado por movimentos semelhantes feitos em outras cidades e até outros países, o movimento #ExposedApucarana foi iniciado nesta quinta (28). Através da hashtag, mulheres denunciaram vários casos de assédio e importunação sexual que teriam ocorrido na cidade.

continua após publicidade

Boa parte dos comentários fazia alusão a professores de colégios locais. Muitas das mulheres narraram fatos ocorridos inclusive dentro dos estabelecimentos de ensino. O assunto chegou a ficar na lista dos mais comentados do Brasil na plataforma Twitter no início da tarde.

A delegada da Delegacia da Mulher afirmou, também nesta quinta, que está acompanhando as denúncias feitas nas redes sociais, mas pediu que os casos sejam levados oficialmente para a polícia.