Apucarana

Confira dicas para economizar na compra de material escolar

Especialistas de Apucarana orientam a população a pesquisar preços em vários lugares

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Confira dicas para economizar na compra de material escolar
fonte: TNOnline

O Procon de Apucarana orienta a população a pesquisar preços em vários estabelecimentos da cidade antes de comprar os itens. Assim é possível fazer opções por marcar mais baratas. “Veja o que está mais condizente com o orçamento da família, afinal janeiro, fevereiro e março são os três primeiros meses em que surgem várias despesas como o IPTU, IPVA, primeira mensalidade escolar. Nem sempre é possível o orçamento da família atender essa demanda”, comenta o coordenador geral do Procon Apucarana, advogado José Carlos Balan.

continua após publicidade

Outra dica é não comprar todo o material de uma só vez. Balan aponta que a tendência é que os preços dos itens escolares caiam nos próximos meses. “A lista de material trata do que é necessário o ano todo. Obviamente que o aluno não vai consumir esse material de uma única vez. Compre apenas o que for importante para o primeiro semestre, assim terá menor custo. Depois no mês de maio junho quando o preço baixar faça a compra do restante”, orienta.

O ano letivo tem início na semana que vem para parte da rede privada de ensino. Na rede estadual, as aulas voltam em 7 de fevereiro. O economista Paulo Cruz, professor da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), recomenda o reaproveitamento de materiais do ano passado, como canetas, lápis e borrachas. Na opinião do professor, essa atitude além de promover economia, enaltece a consciência ambiental.

continua após publicidade

“Outra dica é comprar somente o necessário para evitar desperdícios”, comenta. Uma outra opção dada pela economista é a compra coletiva no atacado. Consiste na formação de um grupo de pais que comprará os itens escolares em alguma empresa atacadista, obtendo preços melhores em relação aos produtos vendidos no varejo.

Já a advogada Elaine Caliman orienta os pais para que fiquem atentos se receberam listas com alguns componentes de uso comum, que não integram o conjunto didático, como por exemplo itens de higiene pessoal.

“Só devem ser solicitados pela instituição de ensino os materiais que forem de uso individual do aluno e em quantidades coerentes. Assim, os materiais de uso coletivo, ou seja, aqueles que serão utilizados por todos os estudantes ou pela própria escola, não podem constar na lista de material escolar a ser adquirido pelos pais ou alunos”, ressalta.