Apucarana

Beto Preto emite nota sobre caso da falsa enfermeira

Beto Preto disse que o caso é muito grave e cobrou as devidas investigações

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Beto Preto emite nota sobre caso da falsa enfermeira
fonte: Divulgação/AEN
Beto Preto emite nota sobre caso da falsa enfermeira

O secretário de Estado da Saúde Beto Preto, emitiu uma nota no início da tarde desta segunda-feira (17), e disse que o caso da falsa enfermeira de Apucarana, se confirmado, é muito grave. 

continua após publicidade

Beto Preto afirma que o caso será acompanhado pela Controladoria Geral do Estado. Confira a nota:

"O caso, se confirmado, é extremamente grave e que cabe aos órgãos competentes a devida investigação. Especialmente num momento em que a vacina é a esperança das pessoas para que o Paraná possa efetivamente sair do cenário crítico da pandemia. Além disso, a Controladoria Geral do Estado vem trabalhando para acompanhar denúncias de possíveis irregularidades na vacinação, principalmente de ocorrências de fura-fila", disse.

continua após publicidade

O CASO: 

A Polícia Civil de Apucarana, no norte do Estado do Paraná, apreendeu na tarde de sábado (15) ampolas de vacinas contra covid-19 na casa de uma falsa enfermeira suspeita de ter desviado o material de rede pública de saúde para vender as doses a pessoas que não fazem parte do público alvo da campanha. Na casa da mulher, que se apresenta como técnica em enfermagem, foram apreendidos também carteirinhas de vacinação, celulares e seringas. 

A mulher foi presa e encaminhada a 17 Subdivisão Policial de Apucarana. O mandado de busca e apreensão na casa da detida atende a pedido do Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça, que abriu investigação após receber denúncia do vereador Lucas Leugi. A mulher trabalhou como voluntária na campanha de vacinação contra covid-19 até ser afastada após ser alvo das denúncias. O vereador apresentou indícios que apontam que a falsa enfermeira teria atuado como voluntária para desviar vacinas contra a Covid-19 para revendê-las. Há informações, ainda não confirmadas pela Polícia Civil, de áudios e troca de mensagens em aplicativos onde a detida oferecia a vacina.

continua após publicidade

Durante o cumprimento da determinação judicial, as doses de vacina foram apreendidas (um frasco da Astrazeneca, com cinco doses; um de CoronaVac com um número ainda não determinado de doses e um vazio) e a falsa enfermeira foi presa em flagrante pelo crime de peculato, podendo responder também pelos crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária.

Um servidor municipal já foi afastado.