Apucarana

Apucarana discute combate à violência e à exploração sexual

A data 18 de maio é dedicada ao Dia Nacional de Combate à Violência e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Apucarana discute combate à violência e à exploração sexual
fonte: Prefeitura Municipal de Apucarana

A data 18 de maio é dedicada ao Dia Nacional de Combate à Violência e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Por isso, nesta quarta-feira (18), diversas ações foram realizadas em todo o país com o intuito de mobilizar o poder público, as instituições sociais e a sociedade civil para a prevenção e o enfrentamento desse grave problema que destrói a infância, os sonhos e a vida de muitos meninos e meninas. Em Apucarana, a Macrorrede de Proteção às Crianças e Adolescentes realizou uma mesa de debate sobre o tema no Cine Teatro Fênix.

continua após publicidade

O prefeito Junior da Femac participou da abertura do evento e falou sobre a importância de dar visibilidade à causa. “Infelizmente, o abuso contra as crianças e adolescentes, a violência contra a mulher, o machismo e o racismo estão presentes no município e nós temos o dever de combatê-los com afinco e determinação. Discussões como esta são importantes para que os agressores percebam que a comunidade está vigilante e as vítimas saibam que estamos unidos para defendê-las,” disse.

Segundo a chefe do escritório regional da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (SEJUF), Márcia Sousa, a violência contra as crianças e adolescentes sempre existiu, mas ganhou corpo e forma durante a pandemia de COVID-19. “As crianças e os adolescentes ficaram confinados em suas casas por quase dois anos, muitas vezes enfrentando agressores. Isso fez com que o problema se agravasse. Como agentes públicos, nós somos responsáveis pela política de atendimento às vítimas e por garantir um futuro digno a elas,” afirmou.

continua após publicidade

Já a promotora de justiça da Vara da Infância, Família e Juventude, Fabiana Pimenta Soares, elogiou a Macrorrede de Proteção às Crianças e Adolescentes de Apucarana. “Graças ao excelente trabalho realizado por vocês no encaminhamento e atendimento das vítimas, eu encontro motivos para continuar acreditando nos seres humanos, mesmo nos dias mais difíceis. A macrorrede apucaranense é composta por profissionais vocacionados, capazes e comprometidos com a causa,” falou.

O debate no Cine Teatro Fênix aconteceu entre o procurador da República da Comarca de Apucarana, Raphael Otávio Bueno dos Santos, e a professora aposentada do Departamento de Serviço Social da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Sílvia Alapanian. A mediação foi feita pelo coordenador da Macrorrede de Proteção à Criança e ao Adolescente de Apucarana, Valdir Anhuci.

Mais de duzentas pessoas acompanharam a discussão, entre estudantes do curso de magistério do Colégio Estadual Nilo Cairo, professores, coordenadores e diretores dos centros infantis e escolas municipais de Apucarana e representantes do Núcleo Regional de Educação, da Autarquia Municipal de Saúde, da Secretaria Municipal de Assistência Social, das faculdades locais, do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDCA), do Conselho Tutelar, do Ministério Público e da Casa Lar. Os municípios de Cambira e Califórnia também mandaram delegações para participar do evento.

continua após publicidade

A secretária de educação, Marli Fernandes, frisou que o município vem reforçando as ações de proteção às crianças e aos adolescentes no contexto pós-pandemia. “O prefeito Junior da Femac contratou e disponibilizou psicólogos para os dezoito colégios estaduais da cidade, enquanto os alunos da rede municipal são atendidos pelos psicopedagogos e psicólogos do Centro de Apoio Multiprofissional ao Escolar (CAME) e por meio do projeto Olhar Acolhedor, desenvolvido em parceria pela Autarquia de Educação e a Faculdade de Apucarana,” detalhou.

Por fim, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Ana Maria Schmidt, orientou sobre o que fazer em caso de suspeita de violência contra crianças e adolescentes. “A população pode fazer a denúncia anonimamente por meio do Disque 100. Os fatos relatados são encaminhados para o Ministério Público e o Conselho Tutelar, que farão a devida investigação e o encaminhamento das vítimas para a macrorrede de proteção,” explicou.

Estiveram ainda, na manhã desta quarta (18), no Cine Teatro Fênix, o vice-prefeito Paulo Vital; o presidente da Câmara Municipal de Apucarana, Franciley Preto de Godoi (Poim), a vereadora Jossuela Pirelli; a vice-prefeita do município de Califórnia, Adriana Reis de Jesus, a secretária municipal de Assistência Social de Cambira, Vanessa Marques; a secretária municipal de Assistência Social de Apucarana, Ana Paula Nazarko; a secretária municipal da Promoção Artística, Cultural e Turística de Apucarana, Maria Agar Borba Ferreira; o conselheiro tutelar André Reis Avelar; o representante do Núcleo Regional de Educação, Gustavo Borges; e a diretora do Centro de Apoio Multiprofissional ao Escolar (CAME), Léia Sofia Viale.

continua após publicidade


Fonte: Prefeitura Municipal de Apucarana.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News