Apucarana

Apucarana debate plano integrado da bacia do Paranapanema

Junior da Femac toma posse a partir de 30 de novembro do comitê de proteção da bacia hidrográfica.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Apucarana debate plano integrado da bacia do Paranapanema
Apucarana debate plano integrado da bacia do Paranapanema

Nesta quarta-feira (29), o prefeito Junior da Femac participou do 5º Encontro de Prefeitos do Paranapanema onde foi debatido o Plano Integrado de Recursos Hídricos. O encontro, que aconteceu através de videoconferência, integra a programação do 4º Encontro Integrado do Paranapanema, que visa promover a aproximação entre os sete Comitês de Bacias que fazem parte do rio, composto pelos estados de São Paulo e Paraná.

continua após publicidade

Eleito em agosto como membro titular do comitê de proteção da bacia hidrográfica, Junior da Femac toma posse a partir de 30 de novembro. “O Paranapanema é um rio muito importante, que une os estados do Paraná e São Paulo. Com 929 quilômetros de extensão, percorre 247 municípios e deságua no Rio Paraná. Esse encontro foi bastante relevante, onde pudemos debater ações para a garantia da qualidade da água e também caminhos para atravessar a crise hídrica”, detalhou o prefeito de Apucarana.

Junior relata que o Paraná vive atualmente a maior seca do século. “Para ter uma dimensão ainda maior da importância da bacia do Paranapanema, dela dependem diretamente uma população de mais de 4,6 milhões de pessoas, possuindo papel preponderante na produção agrícola, no saneamento, na geração de energia e atividades industriais de dezenas de cidades”, elenca o prefeito.

continua após publicidade

Segundo ele, é uma honra para Apucarana integrar de forma representativa o comitê. “Temos aqui as bacias hidrográficas do Tibagi e do Pirapó, que deságuam no Rio Paranapanema, por isso é fundamental conclamarmos a sociedade apucaranense e do Norte do Paraná para contribuir com a qualidade da água, desde o uso consciente do recurso hídrico, até pleno respeito às leis ambientais, não despejando lixo ou lançando esgoto junto aos rios”, pediu o prefeito Junior da Femac, salientando que não só a capital Curitiba, mas também a região possui municípios racionando água devido a crise hídrica.

O debate contou com falas do presidente do Comitê da Bacia Hídrica (CBH), Everton Luiz da Costa Souza e membro do Instituto Água e Terra (IAT) e Suraya Damas de Oliveira Modaelli, secretária Adjunta do CBH e membro da secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente de São Paulo. “Como bem colocou o prefeito Júnior da Femac, o comitê da bacia do Rio Paranapanema, através de seus membros, tem uma responsabilidade muito grande. Além da gestão dos recursos hídricos, leva informação e mobiliza as cidades sobre a necessidade do uso racional da água. Muito importante que os prefeitos estejam junto com os técnicos, que também se reconheçam como parte integrante desta missão”, pontuou Suraya.