Apucarana

AMS apura participação de voluntária em vacinação

Em nota, a prefeitura afirma que a voluntária não manipulou frascos com doses de vacina.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia AMS apura participação de voluntária em vacinação
fonte: Divulgação
AMS apura participação de voluntária em vacinação

A prefeitura de Apucarana informou nesta sexta-feira (14) através de nota, que uma sindicância foi instaurada para apurar a participação de uma técnica de enfermagem como voluntária durante a vacinação contra a Covid-19 na cidade.

continua após publicidade

Nesta quinta-feira (13), a Autarquia Municipal de Saúde (AMS)  esclareceu que houve um único caso de uma técnica de enfermagem que se prontificou a atuar como voluntária, mas já foi afastada do serviço de vacinação contra a Covid-19 pelo sistema drive-thru no Complexo Esportivo Lagoão.

A participação da voluntária no esquema de imunização foi alvo de denúncia do vereador Lucas Leugi, que alega que a citada não é enfermeira, nem técnica de enfermagem devidamente registrada no Coren.

continua após publicidade

Ele encaminhou documentação para o MP com outras denúncias a respeito da conduta da voluntária. O caso deve ser investigado. 

De acordo com a nota divulgada nesta sexta, em nenhum momento a profissional teve autonomia para manipular frascos e doses de vacinas. Leia a nota na íntegra:

"A Autarquia Municipal de Saúde, de Apucarana, baixou nesta semana portaria proibindo a participação de voluntários no serviço de vacinação contra a Covid-19. Ao mesmo tempo, o diretor presidente da AMS, Roberto Kaneta, confirmou a instauração de uma sindicância visando apurar a origem da autorização indevida, que permitiu a participação voluntária de uma profissional de enfermagem. Essa pessoa já foi afastada do sistema de vacinação drive-thru no Ginásio de Esportes Lagoão. O secretário de Saúde Roberto kaneta enfatizou que essa profissional de enfermagem, em nenhum momento teve autonomia para manipular frascos e doses de vacinas. Segundo ele, são inverídicas e descabidas as afirmações de que ela teria aplicado soro fisiológico ou desviado doses, considerando que todos os frascos são rigorosamente controlados e conferidos, de acordo com os nomes das pessoas imunizadas, no início e no término de cada dia da vacinação. Lamentavelmente, esse tipo de acusação sem comprovação gera desinformação e prejudica o trabalho de imunização da população", diz a nota.