Agências de Apucarana e Arapongas enfrentam ‘apagão’ de mão-de-obra - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Durante pandemia

Agências de Apucarana e Arapongas enfrentam ‘apagão’ de mão-de-obra

Foto por Arquivo TN
Escrito por Aline Andrade
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Mesmo em meio a pandemia, o mercado de trabalho está aquecido, com centenas de vagas abertas na região. De março a setembro, as agências do trabalhador de Apucarana e Arapongas colocaram 452 trabalhadores no mercado de trabalho formal e o número de vagas só aumenta. Principal desafio no momento, de acordo com os gerentes das instituições, é conseguir mão de obra para suprir a demanda. 

Somente em Apucarana, 195 trabalhadores foram colocados pela agência do trabalhador, destes, 109 apenas no mês de março. Durante os meses de abril e maio o atendimento foi suspenso por conta da pandemia, mas após a reabertura em junho, outros 86 trabalhadores já conseguiram uma colocação através da agência. Segundo o gerente do órgão em Apucarana Fabio Marcel, o resultado é positivo. “Pela situação em que estamos vivendo é um bom resultado. Tivemos uma queda de vagas a partir de março, ficamos fechados por dois meses e quando voltamos em junho, o número de vagas era pequeno, apenas 15. Mas em pouco tempo as captações de vagas começaram a voltar ao normal, as contratações começaram a aumentar e as demissões diminuíram”, disse. 

Marcel conta que a rápida reação do mercado foi inesperada. “Não esperávamos que as empresas voltariam a contratar tão depressa, a reação realmente foi rápida, e agora nossa maior dificuldade é conseguir mão de obra para suprir as vagas abertas. Hoje eu tenho mais de 260 vagas disponíveis e não tenho trabalhadores interessados, a maioria deles porque estão recebendo auxílio ou algum tipo de benefício do governo”, informou.  

O gerente da agência de Apucarana acredita que a partir de agora, a tendência é que o mercado aqueça ainda mais, com as contratações feitas pelo comércio para as vendas de final de ano e um novo mercado que está chegando na cidade disponibilizando mais de 100 vagas, a partir de dezembro. “O mercado está se recuperando e a tendência é melhorar ainda mais, nossa dúvida é saber se vamos suprir essas vagas por conta da falta de interesse dos trabalhadores pelas vagas”, pontuou. 

ARAPONGAS 

A agência do trabalhador de Arapongas inseriu 257 trabalhadores no mercado de trabalho no período de março a setembro. Diferente de Apucarana, a agência permaneceu aberta entre abril e maio, com rodízio de funcionários e atendimento através de agendamentos. Só neste mês, foram abertas244 novas vagas na agência. Para Queli Cristina Braz, gerente da agência em Arapongas, o resultado está acima do esperado. “Tivemos uma reação muito rápida das empresas, que voltaram a contratar como antes da pandemia. Nosso principal desafio agora é que a mão de obra sumiu. Muitos trabalhadores que ficaram desempregados passaram a receber o auxílio emergencial e agora não querem voltar ao mercado de trabalho. A tendência em nossa cidade é a abertura de ainda mais vagas, com a chegada de uma nova empresa no ramo alimentício, que já está disponibilizando 80 novos postos de trabalho para o próximo mês”, revelou. 

Deixe seu comentário sobre: "Agências de Apucarana e Arapongas enfrentam ‘apagão’ de mão-de-obra"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.