Apucarana

Acusado de decapitação é condenado a 16 anos de reclusão

O caso teve grande repercussão na época porque a decapitação teria sido filmada pelos autores e as imagens circularam em grupos de aplicativos por celular.

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Acusado de decapitação é condenado a 16 anos de reclusão
fonte: TNOnline

Terminou no início da tarde desta terça-feira, 03, no Fórum de Apucarana, o julgamento de Gilvan Rodrigues da Silva Júnior, um dos acusados de matar e decapitar Luciano Aparecido de Pontes, 29 anos, uma pessoa com deficiência. O júri, que teve início às 8h da manhã, condenou o réu a 16 anos e 5 meses em regime fechado. O crime aconteceu em 2017 e o acusado aguardava o julgamento preso.

continua após publicidade

O caso teve grande repercussão na época porque a decapitação teria sido filmada pelos autores e as imagens circularam em grupos de aplicativos por celular.

O crime

continua após publicidade

O fato ocorreu em 11 de abril de 2017 e começou a ser elucidado pela Polícia Civil a partir da localização de um corpo encontrado naquela noite, na Estrada do Xaxim, na zona rural de Apucarana. O corpo, com marcas de golpes de faca, havia sido decapitado e a cabeça estava a mais de 10 metros de distância, jogada no mato. A Polícia encontrou um facão no local do crime.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News