Apucarana

Apucarana reduz déficit habitacional

Da Redação ·
Apucarana reduz déficit habitacional
fonte: Arquivo
Apucarana reduz déficit habitacional

O déficit habitacional de Apucarana vem sendo reduzido drasticamente, com a construção de 1.502 unidades, entre apartamentos e residências. Os investimentos do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, da Caixa Econômica Federal (CEF), superam a R$ 70 milhões. Estão, ainda, programadas as construções de 535 residências através da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em terrenos doados pela prefeitura de Apucarana, com investimentos previstos de R$ 20 milhões.

continua após publicidade

Para o prefeito João Carlos de Oliveira, o Programa “Minha Casa, Minha Vida” tem facilitado que famílias de zero a três salários mínimos tenham acesso à casa própria. “Da parte da prefeitura de Apucarana estamos viabilizado os terrenos e as documentações necessárias para que as construtoras executem as obras, bem como cadastrando as famílias interessadas em obter seu imóvel”, diz João Carlos. Ao mesmo tempo, explica o prefeito, a administração municipal pretende apresentar outras propostas para a construção de mais casas e apartamentos, com recursos da Caixa e parceria com construtoras da cidade.

continua após publicidade

João Carlos de Oliveira frisa que “estes empreendimentos em execução e os previstos não conseguirão zerar o déficit habitacional de Apucarana, mas permitem que milhares de famílias alcancem a tão sonhada casa própria”. O prefeito de Apucarana mostra satisfação com os resultados já alcançados e “ao mesmo tempo motivado a continuar trabalhando para permitir à população de baixa renda ter sua casa”.

continua após publicidade

Ao destacar o trabalho que vem sendo realizado em conjunto com a Caixa Econômica Federal, Cohapar e construtoras, o prefeito de Apucarana informou estar viabilizando o projeto de construção de 80 apartamentos no Núcleo João Paulo I, além de 460 casas na região do Jardim Colonial. “São mais 540 unidades habitacionais que se juntarão aos empreendimentos em andamento”, complementa João Carlos.

Programa alavanca projetos imobiliários

continua após publicidade

O empresário José Francisco Doniak, da Construtora Bizantina, afirma que o Programa “Minha Casa, Minha Vida”, tem facilitado o desenvolvimento do setor habitacional, pois os subsídios possibilitam as negociações com os interessados em comercializar imóveis para os empreendimentos. Entretanto, justifica, não será possível atender à demanda existente na cidade.

continua após publicidade

Doniak lembra que a prefeitura de Apucarana fez o repasse dos terrenos para a construção dos residenciais “Ouro Fino” e “Cidade Educação”, cujas obras estão em andamento. O empresário afirma ainda que sua empresa está executando obras para beneficiar interessados com renda familiar superior a três salários mínimos, também com financiamentos da Caixa.

continua após publicidade

Financiamentos ajudaramem reformas e ampliações

Proprietários conseguiram construir, ampliar ou reformar imóveis urbanos graças a uma linha de crédito da Caixa Econômica Federal. De janeiro de 2009 a novembro de 2010, 174 famílias obtiveram os recursos e executaram as obras necessárias em suas residências. O encaminhamento da documentação foi executado pelo Departamento de Habitação da Secretaria Municipal de Assistência Social.

continua após publicidade

Os financiamentos, em média, alcançaram a cifra de R$ 17 mil e o montante liberado pela CEF chegou a R$ 2.145.000,00. Com o lançamento do Programa Minha Casa, Minha Vida, a Caixa direcionou os recursos destinados à reforma e ampliação para as novas construções habitacionais. Mesmo com a linha de crédito extinta, muitas pessoas ainda procuram o Departamento de Habitação em busca de recursos.

Cohapar irá executar projetos residenciais

Dentro do Programa “Morar Bem Paraná”, instituído pelo governador Carlos Alberto Richa, a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) vai construir 535 unidades habitacionais em Apucarana, com investimento estimado em R$ 20 milhões. Para viabilizar os empreendimentos, a Prefeitura de Apucarana liberou três terrenos para que a empresa estatal possa iniciar as obras.

O prefeito João Carlos de Oliveira, em visita à sede da empresa, em Curitiba, definiu que do total de habitações, 17 integram o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, em parceria com o Ministério das Cidades; e outras 18 casas fazem parte do programa do governo estadual. Estas 35 residências são erguidas no Recanto do Lago e em um terreno na região do Conjunto Habitacional Dom Romeu Alberti, serão construídas mais 500 unidades.