Apucarana

Ano letivo em Apucarana e Arapongas continua indefinido

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Ano letivo em Apucarana e Arapongas continua indefinido
Ano letivo em Apucarana e Arapongas continua indefinido

O ano letivo nas Escolas Municipais e Centros Municipais de Educação Infantil em Apucarana e Arapongas continua indefinito. As instituições paralisaram as atividades no dia 23 de março, devido à pandemia de coronavírus.

continua após publicidade

A secretária municipal de educação de Apucarana, Marli Fernandes, acredita em uma flexibilização do calendário escolar. “Eu como presidente da Undime Paraná, União dos Dirigentes Municipais de Educação, tenho acompanhado a nível nacional a medida provisória que está em votação, tudo aponta para flexibilização do calendário escolar. A princípio não vamos precisar cumprir os 200 dias letivos, mas devemos cumprir as 800 horas de trabalho pedagógico,” explica a secretária. 

Segundo Marli Fernandes, várias atividades já foram repassadas aos alunos e acredita que o ano letivo será concluído de forma positiva.  “Já deixamos várias atividades para os nossos alunos, e vamos providenciar mais, vamos achar uma forma de encaminhar mais atividades até as famílias, até as crianças. Vamos fechar bem o ano letivo, nossas crianças tem um nível excelente de aprendizagem. Vamos fazer com que o trabalho de retorno, reforce esse período que ficamos sem aulas, ” enfatiza.

ARAPONGAS


O secretário municipal de educação de Arapongas, Luiz Roberto dos Santos, informou que aguarda as novas medidas que serão anunciadas pelo governo. “Fica uma incógnita, estamos aguardado o aval final das secretarias, do Ministério da Educação, estamos seguindo o que determina o decreto e precisamos esperar para ver como fica a situação escolar,” comenta. 

continua após publicidade

Luiz Roberto informou que as crianças que estudam no município também receberam atividades para realizar em casa durante a crise do coronavírus.
“Os alunos das escolas e cmeis, receberam as atividades para praticar em casa. Nossos professores trabalharam para isso. Essa pandemia veio para que possamos aprender e valorizar a própria escola,” finaliza.