Apucarana

Vídeo de "briga" entre vendedores de pastel em Apucarana viraliza; entenda

Da Redação ·
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um vídeo de uma suposta briga entre vendedores de pastel de Apucarana, viralizou nas redes sociais nesta sexta-feira (1). As imagens gravadas por uma cliente na quinta-feira (31/10), mostram a dona de uma pastelaria chutando e depois atirando um banco que estava na calçada, de propriedade de seu concorrente, que possui um carrinho para vender pastel bem em frente ao seu estabelecimento, na Rua Osório Ribas de Paula, centro da cidade.

continua após publicidade

Vídeo de "briga" entre vendedores de pastel em Apucarana viraliza; entenda - Vídeo por: Reprodução

O comerciante Ivanildo Simões Marques, 62 anos, proprietário do carrinho de pastéis conta que a briga começou há dois anos por causa do ponto onde ele trabalha, que está no local há mais de 30 anos, e fica bem em frente a pastelaria. De acordo com Marques, os entreveros começaram porque os proprietários da pastelaria - um casal de chineses - começaram a implicar com ele sobre o posicionamento do carrinho que estaria atrapalhando a passagem de clientes. 

continua após publicidade

"Trabalho naquele ponto há muito tempo e nunca tive problema com ninguém, somente com eles. Sempre procurei ser solícito e ajudar no que fosse preciso", afirma. 

Marques conta que após algumas reclamações da posição do carrinho, ele passou a ser alvo de denúncias infundadas. "Por várias vezes fiscais da prefeitura vieram aqui averiguar denúncias, todas sem fundamento. Minha documentação está em dia, todos os anos renovo o alvará e a licença da vigilância sanitária", assinala o comerciante que diz ter sido ameaçado em diversas ocasiões. 

"Uma vez quase apanhei de um chines que ameaçou jogar meu carrinho no meio da rua", afirma. 

continua após publicidade

Segundo ele, a briga foi parar até na Justiça. Depois de um tempo os antigos donos venderam o ponto para outros chineses, contudo, os conflitos continuam. "A Justiça determinou que ambos têm direito de trabalhar no local. Eu não quero problema com ninguém. Só quero continuar trabalhando tranquilamente no meu ponto de serviço. É só cada um respeitar seu espaço", declara. 

A reportagem da Tribuna foi até o local, mas os responsáveis pelo estabelecimento alegaram dificuldade em entender português e não deram nenhuma declaração sobre o assunto. 

Tags relacionadas: #Apucarana #briga