Amuvi recomenda cautela aos prefeitos neste final de exercício - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Apucarana

Amuvi recomenda cautela aos prefeitos neste final de exercício

Ylson Cantagallo, presidente da Amuvi
Foto por
Escrito por Edison Costa
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O final do ano já está chegando e, com ele, a preocupação dos prefeitos no sentido de encerrar o exercício com as contas em dia, conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A preocupação maior é porque, em dezembro, as prefeituras terão que quitar de duas até três folhas salariais do funcionalismo. São elas a folha de pagamento do mês de novembro, no caso daquelas prefeituras que tradicionalmente pagam os salários até o quinto dia útil de cada mês, a folha relativa ao 13º salário e também a folha de pagamento do mês de dezembro, que a princípio deve ser quitada ainda dentro deste exercício, ou seja, até 31 de dezembro.
Para o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi), Ylson Álvaro Cantagallo (MDB), o Gallo, prefeito de Faxinal, nesta reta final do ano é necessário que os prefeitos tenham o máximo de cautela possível no gerenciamento dos recursos públicos. Ele assinala que as prefeituras, de um modo geral, já enfrentam dificuldades para manutenção da máquina pública desde o início e no decorrer do ano. E as dificuldades podem ser maiores ainda para o fechamento do exercício financeiro em 31 de dezembro.
Gallo recomenda aos prefeitos do Vale do Ivaí para que segurem tudo que puder a partir de agora até final do ano, especialmente no caso das prefeituras que estão numa situação muito difícil. “Segurem as máquinas, segurem os caminhões, segurem os veículos e enxuguem as despesas internas onde for possível”, recomenda o presidente da Amuvi. Segundo ele, a prioridade de agora até final do ano é acertar todas as contas para virar o exercício não devendo nada para ninguém.
O presidente da Amuvi observa que as dificuldades são gerais para todas as prefeituras do Vale do Ivaí. Algumas têm problemas maiores, em função de dívidas com precatórios e previdenciárias, além da baixa arrecadação. E os prefeitos desses municípios são obrigados a pagar precatórios e encargos previdenciários de uma forma ou de outra, inclusive no cumprimento de decisões judiciais. Neste aspecto, é necessário que a população tenha paciência com relação às medidas de contenção de gastos que os prefeitos estão adotando para garantir o funcionamento da máquina administrativa.
Gallo não vê vantagem no fechamento das portas das prefeituras com a adoção de meio expediente, norma que tem sido adotada por muitas prefeituras do Paraná. Segundo ele, a economia de gastos com o meio expediente é insignificante, além de o meio expediente não ter o aval da população. “O que todos nós prefeitos temos que fazer é colocar os pés no chão, planejar e segurar tudo”, declara.
O presidente da Amuvi observa que ainda neste ano as prefeituras deverão receber o recurso extra do megaleilão do petróleo que está marcado para o dia 6 de novembro. Para Gallo, o recomendável é que os prefeitos utilizem parte deste recurso para zerar as contas, parte para investimentos e parte para formar um fundo de reserva para ser usado emergencialmente.
Faxinal cumpre planejamento
No caso específico do município de Faxinal, o prefeito Ylson Cantagallo, o Gallo, informa que a administração municipal já vem seguindo um planejamento elaborado desde início do ano, com corte de despesas daqui e dali. Da mesma forma vem guardando um pouco de recursos todo mês para fazer um caixa destinado ao pagamento do 13º salário do funcionalismo no final do ano e quitação de compromissos com os fornecedores. “No início de dezembro queremos acertar as contas com todos os fornecedores. Na sequência queremos pagar o 13º salário e até o dia 31 de dezembro quitar a folha salarial do mês”, planeja Gallo.
Boa parte dos prefeitos vem adotando mesmo procedimento. É o caso de Mauá da Serra, onde o prefeito Hermes Wicthoff (PTB) garante que já tem tudo planejado para até final do ano.
Segundo ele, metade do 13º salário já foi paga em meados do ano, a outra será liberada no dia 10 de dezembro. No dia 20 de dezembro será pago o 1/3% de férias do funcionalismo e no dia 30 a folha salarial do mês de dezembro. Em janeiro haverá um recesso de 20 dias.
 

 


Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Amuvi recomenda cautela aos prefeitos neste final de exercício"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.