Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Apucarana

Apucarana tem déficit de 7 mil moradias

.

A auxiliar administrativa, Kelly Cristina Batista (de blusa preta) ao lado dos filhos e marido. Foto: Maicon Sales
A auxiliar administrativa, Kelly Cristina Batista (de blusa preta) ao lado dos filhos e marido. Foto: Maicon Sales

Para zerar o déficit habitacional, Apucarana precisaria construir aproximadamente 7 mil casas. Os dados fornecidos pela Secretaria Municipal da Assistência Social também mostram que o município tem 4.889 moradias ainda com pendências relacionadas à regularização fundiária e/ou documentação de titularidade.

De acordo com o coordenador do setor de Habitação e Interesse Social, Juliano Dalla Costa, o déficit habitacional inclui informações do último período de inscrições para a faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida, em 2016, quando foram registrados quase 4 mil cadastros de famílias com renda até R$ 1,8 mil.

“É fato que nos últimos quatro anos Apucarana teve alguns empreendimentos de casas populares faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, o que ajudou a diminuir essa demanda. Porém o índice ainda é grande, haja visto que o último período de inscrições foram 4 mil cadastros para 1 mil casas. Então, ficaram 3 mil pessoas sem suas casas”, observa Costa. 

O indicador também inclui famílias com outras rendas, como é o caso da auxiliar administrativa, Kelly Cristina Batista, 36 anos. Atualmente ela mora com o marido e as quatro filhas em uma casa alugada no Jardim Gramados, pelo custo de R$ 550 mensais. O casal vive de aluguel há cerca de 10 anos e sonha em conquistar a casa própria. Mas as condições financeiras ainda não estão favoráveis. 

“Acredito que nem é falta de planejamento. Os nossos salários dificultam, por que a entrada geralmente precisa ser mais alta”, comenta. Kelly conta que já fez várias simulações para financiar imóveis na cidade, contudo, considera o sistema muito burocrático o que acaba dificultando a compra.

“Se facilitassem mais eu já teria a minha casa faz tempo. Preguiça de trabalhar não temos, o que falta é uma boa oportunidade de compra mesmo”, comenta. 

PLANO
Saber com precisão quantas famílias estão nessa situação e quantos imóveis estão desocupados no município não é tarefa fácil. Por isso, a prefeitura de Apucarana firmou um contrato com a empresa londrinense S. Medeiros & Morais Ltda ME (Megaquality Consultoria), que venceu processo licitatório para a prestação de serviços técnicos especializados de elaboração do Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS) e a capacitação institucional de membros do Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social (CMHIS), para posterior gestão do estudo. Na próxima quinta-feira (04), a empresa realiza uma de apresentação dos trabalhos realizados. 

Além de nortear áreas de expansão para a implantação de novos loteamentos habitacionais, o plano vai apontar caminhos para a regularização fundiária e titularidade de moradias em diversos bairros de Apucarana. A reunião está marcada para às 19 horas no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), em Apucarana. O evento será aberto ao público. 

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Apucarana

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber