Tribuna do Norte Online
Saiba Agora
Últimas notícias
    Você está em

    Apucarana

    Câmara de Apucarana promulga leis não sancionadas pelo Executivo

  • Molina reunido com vereadores no gabinete
    Foto por
    Escrito por Edison Costa
    Publicado em 14/05/2019 Editado em 14/05/2019

    O presidente da Câmara de Vereadores de Apucarana, Luciano Augusto Molina Ferreira (Rede), promulgou nesta segunda-feira (13) cinco leis de autoria dos vereadores que não foram sancionadas pelo Poder Executivo dentro do prazo legal. O ato aconteceu logo após a sessão ordinária, no gabinete do presidente, com a presença dos vereadores.
    Foram promulgadas as seguintes leis: a nº 48/2019, de autoria dos vereadores Luciano Molina e Edson da Costa Freitas (Cidadania), que dispõe sobre a proibição do fornecimento de canudos de plástico em estabelecimentos comerciais como lanchonetes, bares, restaurantes e similares; a lei nº 47/2019, de autoria do vereador José Airton Deco de Araújo (PR), que obriga as instituições financeiras (bancos e cooperativas de crédito) a disponibilizar estacionamentos gratuitos para os seus clientes; a lei nº 51/2019, também do vereador Deco, que exige das agências bancárias e de cooperativas de crédito a contratação de vigilância armada para atuar junto aos caixas eletrônicos em horários fora do expediente bancário, como após fechamento do banco e à noite, nos sábados, domingos e feriados; a lei nº 49/2019, do vereador Professor Edson, que revoga a lei que concedeu título de Cidadão Honorário de Apucarana ao ex-governador Beto Richa; e a lei nº 50/2019, do vereador Lucas Ortiz Leugi (Rede), que obriga a Sanepar a instalar equipamento de controle de ar nos relógios medidores de água.
    Molina explica que, quando os vereadores apresentam projetos de lei na Câmara e esses são aprovados, as propostas seguem para o Executivo. Este tem quinze dias para sancionar a lei ou vetar o projeto. Não sendo aprovado e nem vetado, o projeto deve ser devolvido à Câmara, cabendo ao presidente da Casa tomar a decisão de promulgar a lei, conforme é atribuição do Legislativo.
    “Nós, Legislativo e Executivo, somos poderes harmônicos, mas independentes, cada um tem sua atribuição”, afirmou Molina. “Todas as leis que forem aprovadas por esta Casa e não forem sancionadas pelo Executivo nós vamos promulgá-las em respeito ao trabalho dos vereadores”, acrescentou.
    A atitude tomada por Molina foi elogiada pelos vereadores. “Esta sua atitude demonstra que o Legislativo tem poder”, comentou o vereador Antônio Carlos Sidrin (DEM).
    O vereador Marcos da Vila Reis (PSD) lembrou que todas as leis votadas pela Câmara passam pelas comissões, por isso têm seu valor. Ele fez questão de frisar, no entanto, que nenhuma dessas leis foi vetada pelo Poder Executivo, elas apenas não foram sancionadas e os projetos devolvidos à Câmara.


    Reunião familiar termina com 8 contaminados por covid-19 em Arapongas

    Reunião familiar termina com 8 contaminados por covid-19 em Arapongas

    TNTV

    Reunião familiar termina com 8 contaminados por covid-19 em Arapongas

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!

    Deixe seu comentário sobre: "Câmara de Apucarana promulga leis não sancionadas pelo Executivo"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

    Principais matérias